Amar é o Bicho | Portal Tempo Novo

Serra, 19 de junho de 2019

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Amar é o Bicho

por Ana Paula Bonelli

Gatos também podem ter artrose, você sabia?

Por Patrícia Ribeiro de Oliveira, médica veterinária da Climev Laranjeiras

Pesquisas relatam que 22% dos gatos com mais de 1 ano de idade e 90% dos gatos com mais de 12 sofrem com algum grau de artrose. Foto: Agência Brasil

Gatinhos também podem apresentar  artrose,  que cientificamente é  chamada de doença articular degenerativa. É uma doença bem comum nos felinos. Pesquisas relatam que 22% dos gatos com mais de 1 ano de idade e 90% dos gatos com mais de 12 sofrem com algum grau de artrose.

Apesar de ser difícil  identificar pelos tutores pois os felinos apresentam poucos sinais e seu porte ser menor e mais ágil, comparado aos cães; a doença atinge boa parte dos felinos e deve ser levada a sério.

Ela é  caracterizada pela degeneração crônica da cartilagem e dos ossos ao redor das articulações e gera dor, desconforto e rigidez, muitas vezes limitando os movimentos e podendo gerar inclusive agressividade nos felinos.

Ocorre com mais frequência em bichanos acima do peso, sendo os  cotovelos as  regiões mais atingidas, porém, os joelhos, coluna e quadril também podem ser acometidos.

As causas podem ser diversas, por isso a importância do diagnóstico do médico veterinário.

O diagnóstico é feito com a avaliação veterinária e  exames de imagem. O tratamento depende da causa principal que pode ser medicamentoso, cirúrgico ou através de fisioterapia e acupuntura.

A artrose  não tem cura, mas é  tratável, e com o tratamento correto o bichano pode ter muita qualidade de vida.

O importante é iniciar o tratamento o mais precocemente possível para evitar a progressão da doença. Caso seu gatinho apresente alguma dificuldade de locomoção, para se levantar, pular, caso apresente lambedura excessiva em alguma região ou agressividade quando você encosta em alguma parte do corpo leve-o ao médico veterinário. Lembre se, quanto mais cedo o diagnóstico melhor o prognóstico.

Por Patrícia Ribeiro de Oliveira, médica veterinária da Climev Laranjeiras

É possível ter um animal de estimação sofrendo com alergias, diz pediatra

Para a pediatra, Déborah Rocha, o grande problema é que as casas com pets exigem uma atenção especial com a limpeza e, muitas vezes, isso acaba não acontecendo com tanta frequência, o que favorece a proliferação de ácaros – os principais causadores de alergias. Foto: Divulgação

É possível ter um animal de estimação sofrendo com alergias? Para a pediatra Déborah Rocha, do Plunes Centro Médico, a resposta é positiva. As alergias são causadas por substâncias alergênicas originárias do corpo ou mucosa dos bichos, que se desprendem da pele do pet e fixam-se no ambiente, ocasionando as alergias.

O grande problema é que as casas com pets exigem uma atenção especial com a limpeza e, muitas vezes, isso acaba não acontecendo com tanta frequência, o que favorece a proliferação de ácaros – os principais causadores de alergias. O que acontece, no fim das contas, é que os pets acabam levando a culpa das alergias que, na realidade, são causadas pelos ácaros.

“É possível ter um pet mesmo manifestando crises alérgicas desde que sejam tomados alguns cuidados específicos no local onde o animal vive. A primeira dica é manter uma rotina de limpeza em todas as áreas onde o bichinho circula. Isso ajuda a evitar ácaros e substâncias alergênicas. Já para os sintomas, pode-se usar medicações de efeito antialérgico ou a imunoterapia, que diminui a sensibilidade do paciente a determinadas substâncias”, recomenda a especialista.

O ácaro é um inseto que vive em carpetes, tecidos, sofás, cortinas, colchões, onde absorve umidade do ambiente e se alimenta de matéria orgânica, especialmente da descamação da pele humana e de animais. Lavar as cobertas com água morna e secar na secadora em alta temperatura, ter o mínimo possível de carpetes, móveis estofados e cortinas de tecido (prefira persianas de vinil facilmente laváveis), além de evitar bichos de pelúcia nos quartos contribuem para aliviar as crises alérgicas.

As alergias podem ser detectadas por testes de reação cutânea e de dosagem no sangue de igE específico. Quando a pessoa tem o teste positivo e sintomas, caracteriza-se a alergia. Quando somente tem o teste positivo e não tem sintomas ao ser exposta ao alérgeno, caracteriza-se a sensibilização.

“O único mal que o ácaro causa ao humano é desencadear reações alérgicas. Então a limpeza constante realmente funciona, já que diminui os ácaros e as substâncias alergênicas dos pets”, diz a pediatra.

Texto de Maria Emilia Silveira, da Agência Souk

Amantes de aves escolhem Mestre Álvaro para encontro de observadores

observadores de passaros

Turma que participou do encontro do último domingo (9). Foto: Mário Candeias

A Serra foi palco de um encontro diferente no último domingo (9). O Clube de Observadores de Aves do Espirito Santo (COA-ES) organizou um encontro no Sítio Ouro Velho,  em Pitanga, que contou, inclusive, com a participação de integrantes da Associação Martinense de Observadores de Aves (Amoaves) que engloba Domingos Martins e entorno.

Dentre os pássaros avistados pela turma, estavam o bacurauzinho-da-caatinga, o mergulhão-pequeno e a garça-real.

Um dos ambientalistas que participou do evento foi Hilton Monteiro Cristovã. Ele conta que o Mestre Álvaro foi escolhido para esse encontro por ser um dos melhores lugares na Grande Vitória para fotografia da fauna e da flora silvestres com uma biodiversidade riquíssima.

Bacurauzinho-da-caatinga. Foto: Mário Candeias

José Silvério Lemos é um dos mais experientes observadores de aves do Espírito Santo e conta que o local foi muito bem escolhido. “O encontro nos proporcionou conhecer uma espécie de bacurau. Trata-se do Bacurauzinho-da-caatinga. As avezinhas graciosas deram um show para os participantes! O nome Bacurauzinho-da-caatinga está ligado à região de ocorrência dessa ave tão interessante. No início, pensava-se que ele ocorria apenas na caatinga do nordeste, habitando locais secos e pedregosos. O curioso é que quando ele caça voando, mantém sempre a boca aberta, fazendo uma verdadeira coleta de insetos sem muito esforço. Somente em 1995, as aves do Espírito Santo foram reconhecidas como subespécie do Bacurauzinho-da-caatinga, estendendo sua distribuição para bem mais ao sul da caatinga do Nordeste. A localidade de Afonso Cláudio, nos Três Pontões, é o local mais ao sul de sua distribuição.”

José Silvério gravando o som do bacurauzinho. foto: Mário Candeias

Já o presidente do COA-ES, Régis Vicentini Silotti, disse que a a observação de aves é uma atividade muito especial, além de ser um hobby prazeroso e ser praticado por qualquer pessoa e idade. “Ajuda a sensibilizar a sociedade na preservação das aves e do meio ambiente em que estão inseridas. O COA-ES atua na conscientização das pessoas em não manter aves silvestres engaioladas, incentivando-as a praticar a observação de aves livres na natureza.”

Da Amoaves, Roberto de Oliveira Silva, presidente da associação, conta que o encontro foi uma confraternização para lá de especial num lugar tranquilo e bucólico. “Em Pitanga, contemplando as belezas do Mestre Álvaro. Confraternização e Passarinhada – dois ingredientes singelos e prazerosos, principalmente no entorno do imponente Mestre Álvaro. Assim foi nosso encontro em Pitanga.”

 

Filhotinho em casa. O que devo ficar atento?

Antes de vacinar é necessário fazer um exame de sangue no filhote. Foto: Pixabay

Você chega em casa segurando aquela bolinha peluda deliciosa e emocionante com aquele olhar cativante e a família toda fica feliz com o novo integrante do lar. Mas saiba que esse serzinho requer cuidados triplicados em comparação com os adultos. 

Primeiro passo é leva-lo para uma consulta com o “PetAtra”; sim, os filhotinhos precisam passar pela consulta com o médico veterinário para determinar e muitas vezes prevenir doenças futuras osteoarticulares, neurológicas, de pele, olhos etc etc etc e prevenção é SEMPRE melhor que tratamento; Não é apenas vacina e vermífugos que deixará seu bebê peludo um adulto saudável e forte.

Não recuse se o “PetAtra” sugerir exames de sangue ou de imagem de controle. Muitas doenças são silenciosas e o médico veterinário não tem olhar de raio x para apenas na avaliação determinar se o filhotinho está realmente saudável. Nunca dê a primeira vacina  sem antes ter realizado pelo menos um exame de sangue.

E caso seu filhote apresente vômito, diarréia, falta de apetite, choro excessivo, apatia leve correndo a uma clínica ou hospital veterinário (casas de ração não são veterinários e consultórios não possuem equipamentos e muitos medicamentos que precisa para salvar seu filhote); não aguarde dias para levar pois filhotes são como bebês humanos recém nascidos.

Eles são muuuuuuito sensíveis e morrem facilmente. Lembrem-se, vocês pegaram a tutela de uma vidinha e é extremamente importante ser responsável por ela. Com os cuidados corretos seu peludinho vai crescer forte e saudável e se transformará cada vez mais no seu melhor amigo.

Por Patrícia Ribeiro de Oliveira, médica veterinária da Climev Laranjeiras

Idoso é detido por abuso sexual de cães no ES

A deputada esteve com a Polícia Civil e o Conselho de Medicina Veterinária para atender a ocorrência. Foto: Divulgação Janete (Instagram)

Em menos de uma semana dois casos de maus-tratos contra animais aconteceram em Vila Velha, no Espírito Santo. O último ocorreu, na manhã desta quinta (6), e no bairro Alvorada e o outro na sexta-feira (1), no Centro de Vila Velha. À  frente da iniciativa esta a CPI dos Maus-Tratos da Assembleia Legislativa do ES.

A denúncia de que um idoso estaria abusando sexualmente um casal de cachorros chegou via email em maio para a CPI, que tem como presidente a deputada estadual Janete de Sá (PMN).

Ao lado da deputada foram ao local para resgatar os animais vítimas de maus-tratos a Polícia Civil e o Conselho de Medicina Veterinária (CRMV).  A operação foi motivada por um vídeo encaminhado à CPI onde o tutor dos animais, um aposentado de 82 anos, foi flagrado praticando ato libidinoso com o animal de estimação. No local a polícia apreendeu produtos como vaselina e lidocaína, que é um anestésico local.

“Essa denúncia chegou até a CPI há cerca de 15 dias, com um vídeo com imagens claras que mostram atos libidinosos que nos chocaram muito. Orientamos a denunciante para que fosse até a delegacia abrir o boletim de ocorrência. Com isso, o delegado Eduardo Passamani montou a operação, com a expedição de mandado de busca e apreensão para que pudéssemos resgatar os animais”, explicou a deputada Janete de Sá.

O idoso não estava em casa no momento que a polícia chegou para cumprir o mandado de busca. A detenção do mesmo aconteceu pouco depois, quando ele chegava na residência. No primeiro momento o aposentado negou que abusava dos animais. Questionado pela deputada de posse do vídeo ele confirmou ser ele mesmo no vídeo que foi enviado para a CPI.

O senhor de 82 anos foi ouvido na delegacia e de acordo com a polícia ele confessou o fato e foi liberado por se tratar de crime de menor potencial ofensivo. Após o término da investigação o idoso vai estar sujeito às penalidades criminais por maus-tratos aos animais, previstas na Lei Federal 9.605/1998.

Os animais que aparentam ter entre dois e seis anos, foram avaliados pelo CRMV e depois encaminhados para um abrigo em Manguinhos, na Serra, onde deverão permanecer até terem condições de ir para uma adoção responsável.

Alvorada

O caso do último dia 1º de junho ocorreu em uma casa no Sítio Batalha, no Centro de Vila Velha, por conta de uma denúncia de canil clandestino e maus-tratos contra quatro cadelas da raça Dogue Bordeaux.

A ação que resultou na prisão do proprietário dos animais, foi acompanhada pela Polícia Civil, o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) e a Sociedade Protetora dos Animais. As cadelas estavam presas em uma área cheia de entulhos, sem água e comida. Os animais foram recolhidos pelo CRMV e foram avaliados e tratados para quando estiverem perfeitamente recuperados serem colocados para adoção.

“As cadelas estavam em situação deplorável, desidratas, caquéticas, abandonadas para morrer de inanição. Caso característico de descarte por não conseguirem interessados na aquisição. Todas as denúncias recebidas pela CPI são devidamente apuradas em parceria com a polícia civil e o CRMV e novas ações de resgate podem acontecer”, declarou a presidente da CPI, deputada Janete de Sá.

O dono do imóvel foi conduzido para a Delegacia do Meio Ambiente, onde vai assinar um termo circunstanciado por crime de maus-tratos contra animais e vai ser liberado por se tratar de um crime de menor poder ofensivo.

O proprietário do imóvel, possuí outros 10 cães da raça American Bully, só que todos aparentemente bem cuidados. Ele foi autuado também pelo CRMV, por não ter registro e nem médico veterinário responsável pelos animais. Ele tem 30 dias para recorrer caso contrário estará sujeito a multa.

As denuncias de maus-tratos contra os animais devem ser feitas pelo email: [email protected]

Evento gratuito marca o início da temporada de observação de baleias no ES

Em 2018, quase 900 turistas tiveram a oportunidade de observar as baleias que visitaram o litoral capixaba. Foto: Instituto Baleia Jubarte

Segundo uma antiga expressão “o bom filho, à casa torna”. E pelo jeito isso se aplica também ao mundo dos cetáceos. Todos os anos, entre os meses de julho e novembro, milhares de baleias-jubarte saem das águas geladas da Antártica em busca de temperaturas mais agradáveis e próprias para a sua reprodução. O que muita gente ainda não sabe, é que boa parte destas baleias nasceu em território capixaba e retorna para ter seus filhotes aqui também! Para marcar o início da temporada 2019, acontece de 13 a 15 de junho o “II Simpósio Latino Americano sobre o Turismo de Observação de Baleias: Status e Perspectivas para a América Latina”, promovido pelo Projeto Baleia Jubarte, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental.

Em parceria com a Secretaria de Turismo do Espírito Santo, a Prefeitura de Vitória e o Sebrae-ES, o objetivo do evento é fomentar esta atividade como grande opção para o turismo capixaba, possibilitar o networking entre especialistas de diversos países e, ainda, elaborar uma carta que indicará o futuro das políticas públicas de observação de baleias nas cidades de Vitória e Vila Velha. Além disso, o Simpósio contará com palestras e workshops voltados para a capacitação dos profissionais de turismo.

Segundo dados do Projeto Baleia Jubarte e Observatório do Turismo da PMV/Instituto Ecomares, na temporada de 2018, da segunda quinzena de julho até novembro, 893 turistas, a bordo de 38 expedições, tiveram a oportunidade de observar as baleias que visitaram o litoral capixaba. Durante o período, foram realizadas oito expedições de pesquisa e monitoramento, com média de avistagem de 10 baleias por embarque. Para este ano, a expectativa é que as embarcações turísticas deixem o píer da Praia do Suá um pouco mais cedo. Isso porque já foi identificada uma grande movimentação de baleias na costa capixaba.

O presidente do Instituto Baleia Jubarte (IBJ), Eduardo Camargo, responsável pela administração do Projeto, revelou estar otimista em relação à temporada 2019 de baleias- jubarte no Espírito Santo.  “A comunhão dos esforços dos gestores públicos e do IBJ vão garantir a evolução responsável do turismo de observação de baleias no Estado como nunca organizado antes no Brasil. Já demos início ao monitoramento científico de toda a população de baleias, o que trará ainda mais informações para orientar a conservação da espécie e o turismo de observação sustentável no Estado”, diz ele.  O “II Simpósio Latino Americano sobre o Turismo de Observação de Baleias: Status e Perspectivas para a América Latina” acontece de 13 a 15 de junho, no Auditório do Sebrae-ES e no Espaço Baleia Jubarte. A entrada é gratuita.

Confira abaixo a programação do Simpósio:

13/06 QUINTA-FEIRA – MANHÃ

8:30 – INSCRIÇÃO – Entrega de materiais

9:00 – ABERTURA

Autoridades Locais e Representantes Institucionais

10:00 – FELIPE RAMALDES

Secretaria de Turismo – Prefeitura de Vitória, ES

Tema: “A relevância de um arranjo produtivo local da Baia de Vitória para o fomento do turismo de observação de baleias no Espírito Santo”

10:30 – SERGIO CIPOLOTTI

Instituto Baleia Jubarte – Praia do Forte, Brasil – BA

Tema: “Turismo de Observação de Baleias como ferramenta para conservação marinha: geração de renda e conhecimentos científicos”

11:00 – INICIATIVAS LOCAIS

ONGs e Operadores de turismo de Vitória, ES

Tema: “Atuações locais para conscientização ambiental e desenvolvimento do ecoturismo no Estado do ES”

13/06 QUINTA-FEIRA – TARDE

14:30 – MARINELLA MALDONADO OSSANDÓN

MaryTierra expediciones – Chile, Chanaral de Acetuno

Tema: “Chañaral de Aceituno, laboratorio natural para la ciencia e el turismo”

15:30 – TERESA MARÍA KAMINSKI

Tito Bottazzi Tours – Argentina, Puerto Pirámide

Tema: “Historia del Nacimiento de Avistaje de Ballenas en Patagonia – Península de Valdés”

16:30 – COFFEE BREAK

17:00 – JULIO CESAR VICENTE

Presidente da Associação de Guias de Turismo da APA da Baleia Franca – Imbituba, Brasil – SC

Tema: “Roteiros de Observação de Baleias e Golfinhos na Rota da Baleia Franca”

18:00 – CONVERSA TEMÁTICA COM OS PALESTRANTES

“A importância dos cetáceos e atividade de turismo para inspirar mudanças positivas no comportamento humano em prol da conservação dos oceanos”

14/06 SEXTA-FEIRA – MANHÃ

8:30 – ABERTURA – Mostra de Vídeos

9:00 – PAULO LIMONCIC

Portomar Passeios Turísticos – Praia do Forte, Brasil – BA

Tema: “Turismo de Observação de Baleias Jubarte na Praia do Forte: 15 anos experiência e geração de dados”

09:30 – THAIS KOKOÇ MOURA DE MELO

Cia do Mar Navegação e Turismo – Porto Seguro, Brasil -BA

Tema: “Turismo de Observação de Baleias em Porto Seguro: parceria entre empresária e bióloga pelo desenvolvimento do ecoturismo”

10:00 – JULIO CARDOSO

Baleia à Vista – Ilha Bela, Brasil – SP

Tema: “Ciência cidadã contribuindo para o monitoramento de cetáceos”

10:30 – FELIPE BULOTO

Natura Ecoturismo – Vitória, Brasil – ES

Tema: “Observação de Baleias em Abrolhos: Novos Desafios”

11:00 – RODA DE CONVERSA COM OS PALESTRANTES DA MANHÃ

14/06 SEXTA-FEIRA – TARDE

 14:30 – JAVIER RODRÍGUEZ FONSECA

Fundación Promar – Costa Rica

Tema: “La observación turística sostenible de cetáceos como herramienta de manejo”

15:30 – ILEANA GONZALEZ MESSINA

Moto Marina Tours – Republica Dominicana (Samana Bay)

Tema: “Observación de Ballenas em República Dominicana – 30 anos avanzando”

16:30 – COFFEE BREAK

17:00 – GUSTAVO FRAGA TIMO

Associação Internacional de Turismo de Aventura – Diretor de Desenvolvimento Produtos e Destinos da ATTA

Tema: “O turismo de Aventura no Mundo, sua relação com a observação de baleias – Conceitos, tamanho do mercado, impacto econômico, tendências de produtos, mercado e desenvolvimento do destino”

18:00 – CONVERSA TEMÁTICA COM OS PALESTRANTES DA TARDE

“Ações prioritárias para o desenvolvimento responsável do turismo de observação de baleias”

15/06 SÁBADO

MANHÃ

10:00 – SAÍDA DE CAMPO

Observação de baleias com palestrantes e convidados

NOITE

20:00 – EVENTO CULTURAL Encerramento

Sobre o Projeto Baleia Jubarte

Atuando há 30 anos na pesquisa e conservação das baleias-jubarte e do ambiente marinho no Brasil, o Projeto Baleia Jubarte, patrocinado pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental, integra a Rede BIOMAR juntamente com outros projetos patrocinados pela empresa (Projeto Albatroz, Coral Vivo, Golfinho Rotador e TAMAR), que atuam de forma integrada na conservação da biodiversidade marinha do Brasil. O Projeto Baleia Jubarte é administrado pelo Instituto Baleia Jubarte a partir de suas sedes na Praia do Forte e em Caravelas, Bahia. Mais informações sobre as atividades podem ser obtidas facebook.com/projetobaleiajubarte e em baleiajubarte.org.br/projetoBaleiaJubarte.

Serviço:

Evento: “II Simpósio Latino Americano sobre o Turismo de Observação de Baleias: Status e Perspectivas para a América Latina”

Data: 13 a 15 de junho

Local: Sebrae – Rua Belmiro Rodrigues Silva, 170, Enseada do Suá

Entrada gratuita.

Inscrições pelo email: [email protected]

Informações: 27 98825-0440;

Sábado é dia de feira de adoção em Laranjeiras

Filhotão é um dos animais que estará na feira de adoção. Foto: Divulgação

Mais de 40 animais estarão à procura de um lar na feira de adoção que acontecerá na Clínica Cema, em Laranjeiras, na Serra. A feira é resultado de uma parceria da clínica com a Ong Amizade é um Luxo.

O evento será neste sábado (8), das 10 às 17h, e contará com sorteio de duas cestas de brindes e café da manhã para os participantes.

Cães e gatos adultos e filhotes estarão na feira. Os animais adultos serão entregues ao adotante castrados e vacinados. Já os filhotes serão entregues vacinados. Todos os animais disponíveis para adoção foram resgatados em situação de maus-tratos nas ruas por protetores independentes.

Um dos animais que estará na feira é o Filhotão. Ele foi resgatado por uma das integrantes do Grappa – Grupo de Apoio a Proteção Animal em novembro de 2017 na praia da Baleia, em Jacaraípe. “Ele, a mãe e mais três irmãzinhas. A mãe era mega arisca inclusive faleceu por conta da cinomose. Quando Filhotão estava com três meses participou de uma feirinha de adoção, foi adotado, mas o adotante o devolveu quatro meses depois alegando que tinha crescido muito. Voltou doente, com doença do carrapato, otite, verme, perdeu as vacinas, enfim, foi todo um processo até ele se recuperar e poder castrar e vacinar. Tenho um carinho enorme por ele, só não o adotei porque não posso, mas quero que ele consiga um lar de verdade dessa vez”, conta a protetora Meirielly Quadra C. da Silva. 

Também haverá venda de camisas da Ong “Amizade é Um Luxo”, brinquedos pet  e muito mais. Toda a renda será revertida para ajudar animais em estado de abandono.

Para adotar animais é necessário ser maior de 18 anos, levar documento com foto e comprovante de residência. Quem quiser, também pode doar ração, patês e itens relacionados ao universo pet, além de jornal e paninhos (que podem servir de caminhas para animais de abrigos).

A Cema fica na rua Humberto de Campos, 46, em Parque Residencial Laranjeiras. A clínica fica na rua atrás do Bradesco e na rua do Banesfácil.

Casal troca presentes por ração em aniversário para doar a animais abandonados

Goretti e Hércules fizeram 60 anos e tiveram apoio de amigos. Foto: Divulgação

Um casal de Jacaraípe trocou presentes por ração em sua festa de aniversário de 60 anos. Maria Goretti Machado Tostes e seu marido, Hércules Gomes Tostes, uniram seus amigos num churrasco e conseguiram arrecadar 310 quilos ração de cães e gatos que serão doados para um grupo de cuida de animais abandonados.

O casal mora em Jacaraípe, no bairro Estância Monazítica, e toda a ração arrecadada foi doada para o grupo Ação Animal, que resgata, cuida, castra e doa animais de rua na região.

Goretti conta que sempre gostou de animais e, quando era criança, seu pai muitas vezes levou para casa animais que encontrava na rua. “Acho que eu e minha irmã aprendemos com ele”, conta Goretti, que possui um cachorro em sua residência e ainda cuida de seis gatos de rua, que todos os dias vão se alimentar em sua casa.

“Meu marido e eu tivemos a ideia de fazer essa ação após conhecer o trabalho das meninas do Ação Animal. Conheço a Elika e ela foi essencial na ajuda para salvar uns cãezinhos abandonados que uma amiga minha pegou. Foi bem difícil salvá-los; mas, no final deu tudo, todos foram adotados. O trabalho delas é bem sério e responsável”.

Segundo Goretti, os convidados adoraram a ideia e apoiaram a causa. “Muitos amigos já falaram que vão fazer a mesma coisa. É muito bom incentivar as pessoas com atitudes nobres, e ficamos felizes de abrir esse leque na mente das pessoas”.

Animais enxergam as cores de maneira diferente do ser humano

Os gatos reagem apenas às cores violeta, azul, verde e amarelo. Como resultado dessa condição, a visão deles é embaçada e eles não conseguem ver os detalhes de objetos. Foto: Agência Brasil

A retina das pessoas capta três tipos de cores: o azul, vermelho e verde, o que permite enxergar uma variedade enorme de cores. Existem dois tipos de células sensíveis à luz no olho: os cones e os bastonetes. Os humanos possuem até seis milhões de cones na retina.  Enquanto os bastonetes respondem à intensidade luminosa (níveis baixos ou altos de luz), os cones leem as frequências da luz, permitindo que as cores sejam identificadas, informa Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News (www.revistaecotour.news).

 Assim, os bastonetes permitem ver de noite ou com pouca luz e os cones possibilitam perceber distintas cores.  Tanto nos bastonetes como nos cones, existem moléculas de um tamanho relativamente grande que absorvem os fótons que chegam a elas e que são as que produzem finalmente impulsos elétricos no nervo óptico.

 O cérebro dos animais interpreta a combinação das frequências de uma forma diferente. Para que um animal possa perceber as inúmeras cores, precisa ter pelo menos duas classes diferentes de células sensíveis à cor em seu olho, os cones, e uma capacidade cerebral que possa entender as mensagens que recebe destas células.

 Os gatos reagem apenas às cores violeta, azul, verde e amarelo. Como resultado dessa condição, a visão deles é embaçada e eles não conseguem ver os detalhes de objetos. Apesar de não terem uma visão capaz de distinguir muitas cores, eles são capazes de detectar qualquer movimento. Isto também é reflexo do campo de visão dos gatos, que é de 200°. O do ser humano é de 180°. Tal característica permite que o animal tenha uma visão panorâmica mais ampla.

 “O gato enxerga no escuro cerca de seis a oito vezes melhor do que os humanos, e isso se deve a presença de diversos bastonetes na visão, que é um componente da retina responsável pela recepção de luz no escuro”, salienta Vininha F. Carvalho.

O cão pode ver em cor, mas não tantas cores como os humanos, já que possui só dois tipos distintos de cones. Ele consegue distinguir o azul do amarelo, do vermelho ou do verde, mas não diferencia o vermelho do verde. Os caninos veem na escuridão de quatro a cinco vezes melhor do que o ser humano.

 A pomba possui até cinco tipos diferentes de cones, logo percebe mais cores do que um ser humano. A borboleta possui quatro tipos diferentes de cones. Um tipo de camarão tem pelo menos doze classes de células sensíveis à cor e provavelmente seja o animal que mais cores percebam.

Há casos de animais que não possuem cones e só disponha de bastonetes em seu olho. Eles não poderão perceber cor alguma, apenas mudanças de intensidade de luz. Seu mundo é um mundo de sombras, no qual as sombras menos escuras correspondem a mais luz e as menos escuras, a menos luz. Este é o caso, por exemplo, das salamandras.

Também não verá a cor um animal que, além de bastonetes, só possua um tipo de cone (são necessários dois, no mínimo, para distinguir cores). Assim, seu mundo não será em escala de cinzas como, no caso da salamandra, mas na escala da única cor que percebam seus cones. Isso é que acontece com o polvo.  

Ainda há o caso de animais que possuem células sensíveis a frequências que ficam em faixa do espectro eletromagnético não visível para os olhos humanos. É o caso das abelhas, que veem a luz ultravioleta (UV), uma frequência que é invisível para os humanos. “As abelhas usam esta visão em UV para ver os padrões das pétalas florais, os quais lhe indicam onde se encontra o néctar”, conclui Vininha F. Carvalho.

Bazar Solidário para ajudar animais em situação de risco no ES

Toda a venda do bazar é para custear tratamentos de animais abandonados. Foto: Divulgação

Apenas um passeio às ruas da Grande Vitória já é o suficiente para ver dezenas de animais em situação de risco. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, somente em 2016, já eram mais de 30 mil cães abandonados à própria sorte. Diante disso, apaixonados pela causa unem as mãos para oferecer o suporte que podem.

Capixabas como a economista Huandra Seibel e a contadora Josiane Zantonelli, criaram o Bazar Solidário Pra Mia, que funciona no piso L1 do Shopping Praia da Costa. Todo valor arrecadado será revertido para auxiliar no tratamento veterinário de pets em vulnerabilidade, na região de Viana.

Mais de 300 peças, que englobam roupas, calçados, bolsas, acessórios, além de itens de décor, estão à venda com o preço médio de R$ 40. Personalidades e influencers doaram itens para comercialização na loja, entre as quais: a Miss Brasil 2010, Débora Lyra, a fundadora da Amor Horizontal, Carol Celico, e a idealizadora do blog Peguei o Bouquet, Larissa Pupim.

Projeto já resgatou 80 animais e ajudará em três cirurgias

De acordo com as criadoras da ação, os valores arrecadados com as vendas serão destinados às cirurgias de três cachorros. Vale destacar que mais de 80 animais já foram resgatados pelo projeto.

Sobre a Pra Mia

A Pra Mia é uma plataforma digital, que tem como objetivo reunir recursos financeiros, por meio da venda de peças seminovas (vestuário, calçados, bolsas, acessórios e itens de decoração), para tratamento veterinário de animais em situação de risco na região de Viana (ES).

Serviço – Bazar Solidário Pra Mia

Quando: de segunda a sábado, das 10h às 22h e, domingo, das 14h às 20h.

Onde: piso L1 do Shopping Praia da Costa (avenida Dr. Olívio Lira, 353 – Praia da Costa, Vila Velha).

Mais informações: https://www.pramia.com.br

Cães e gatos também passam pela adolescência, explica especialista

Preguiça, desobediência e desejo de liberdade são algumas das características desse período após a infância para as crianças, porém, cães e gatos também apresentam os mesmos sintomas. Foto: Divulgação

Acredite: animais também têm adolescência e podem passar por essa fase difícil com rebeldia. Preguiça, desobediência e desejo de liberdade são algumas das características desse período após a infância para as crianças, porém, cães e gatos também apresentam os mesmos sintomas. O médico veterinário Cleiton Rupolo, especialista da Nutrire – indústria de alimentos de alta performance para pets, explica o que ocorre nessa fase e de que forma os tutores devem agir para garantir bem-estar ao animal.

Tal e qual acontece com as crianças, os cães também saem da infância para aquela mais conhecida como “fase da rebeldia”. Além das mudanças físicas, alterações comportamentais acontecem e saber como lidar nesse período é muito importante. “A adolescência de um cão surge no começo dos seis meses de idade e vai até os 18 meses, no máximo. A produção maior de hormônios acarreta nas mudanças de interesses e podem complicar a relação dos pets com seus tutores”, explica. Mas, afeto e determinação vão auxiliar a passar essa etapa de forma tranquila e feliz com seu pet.

Nessa fase, o treinamento do cachorro requer mais paciência, consistência e persistência. “É bom que todos utilizem as mesmas palavras de comando e compreendam que tudo o que o animal aprender agora, vai levar para a fase adulta”, acrescenta. Quando o cão já é adestrado, pode acontecer dele não obedecer como antes, por isso, a paciência é o segredo da comunicação eficiente. “A fase da adolescência não é fácil para o animal e a rebeldia vai passar com o tempo”, diz.

Além disso, o cachorro pode ficar mais corajoso e instigado a novas descobertas. O ideal é não abrir mão da coleira na hora do passeio, por exemplo, principalmente porque eles desejarão explorar novos lugares e há perigos iminentes se o pet sair correndo pela rua. “O animal adolescente pode desejar a presença de outros companheiros, mas as brincadeiras não devem passar do limite. Muitas fêmeas, por exemplo, não aceitarão a companhia de outras fêmeas – o que pode gerar confrontos”, alerta Dr. Rupolo.

Os machos costumam se interessar pelas fêmeas nesse período e também tendenciam a marcar o território, o que pode gerar brigas com outros machos. Todo cuidado é pouco. “Não se esqueça de deixar sempre claro quem é o líder, mas evite punições, gritos e xingamentos – isso só afasta seu cãozinho de você. Afeto é sempre a melhor forma lidar com a rebeldia do seu pet”, avalia.

Gatos

Aprender e brincar são os lemas de um gato adolescente. Além de mais carinhoso, o pet nessa fase da vida é cheio de energia e precisa se divertir bastante para gastar tudo isso. Ao mesmo tempo, os felinos também costumam dormir mais do que quando eram filhotes. “Portanto, não estranhe se o animal descansar por 15 ou 16 horas no dia”, diz o especialista.

Dr. Rupolo também alerta para os incômodos de móveis estragados. “Se você não deseja ter sofás e poltronas arranhadas, o ideal é investir em um arranhador, pois o gatinho adolescente é extremamente curioso e qualquer ambiente pode ter coisas interessantes e atrativas para afiar as unhas”, sugere. Apesar das brincadeiras ainda serem a grande atração do gato adolescente, outra questão importante é a demarcação do território – feito tanto por machos como pelas fêmeas. “O xixi fora da caixa de areia é a forma mais comum do animal demonstrar que aquele ambiente é dele e de mais ninguém”, diz.

A castração é a forma mais segura de evitar esse comportamento – além de ser importantíssimo para a saúde do felino. “Uma gata no cio pode incomodar os vizinhos e é muito desconfortável para o bichano. Por isso, é sempre indicado pedir orientação sobre o procedimento com um veterinário de confiança. Tendo em vista que a superpopulação de animais domésticos é um caso de saúde pública, a castração auxilia a evitar o abandono de filhotes, impede as ninhadas não desejadas e prolifera a cultura da posse responsável”, revela o veterinário.

Independente do seu companheiro ser filhote, adolescente, adulto ou idoso, seja paciente e afetuoso com ele. Há muitos mitos em torno dos gatos, um deles é de que não são tão apegados às pessoas. Porém, isso é realmente apenas um mito, pois esses animais também sentem-se acolhidos, cuidados e seguros quando estão com seus tutores. Um gatinho adolescente só precisa de atenção e interação para que cresça saudável e se torne um adulto feliz.

STJ decide que condomínio não pode proibir animais de estimação

O recurso julgado no STJ teve origem em ação ajuizada por uma moradora de condomínio do Distrito Federal para ter o direito a criar sua gata de estimação no apartamento. Foto: Divulgação

Uma decisão judicial publicada esta semana vai deixar muitos moradores de condomínios que possuem animais de estimação em casa mais tranquilos.

Isto porque a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a convenção de condomínio residencial não pode proibir de forma genérica a criação e a guarda de animais de qualquer espécie nas unidades autônomas, quando o animal não apresentar risco à segurança, à higiene, à saúde e ao sossego dos demais moradores e dos frequentadores ocasionais do local.

A decisão reformou a decisão final do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) que havia entendido que as normas previstas na convenção e no regimento interno do condomínio incidem sobre todos os moradores, sendo que a proibição expressa da permanência de animais nas unidades autônomas se sobrepõe à vontade individual de cada condômino.

O recurso julgado no STJ teve origem em ação ajuizada por uma moradora de condomínio do Distrito Federal para ter o direito a criar sua gata de estimação no apartamento. Ela alegou que a gata, considerada um membro da família, não causa transtorno nas dependências do edifício.

No recurso especial, sustentou que a decisão do TJDF violou seu direito de propriedade, divergindo, inclusive, do entendimento externado por outros tribunais quando julgaram idêntica questão.

Alegou, ainda, ser descabida a proibição genérica de criação de animais, pois a vedação só se justifica nos casos em que for necessária para a preservação da saúde, da segurança e do sossego dos moradores.

Em seu voto, o relator do recurso, ministro Villas Bôas Cueva, destacou que a convenção condominial, representa o exercício da autonomia privada, regulando, em um rol exemplificativo, as relações entre os condôminos, a forma de administração, a competência das assembleias e outros aspectos, com vistas a manter a convivência harmônica.

Entretanto, o relator ressaltou que as limitações previstas nas convenções são passíveis de apreciação pelo Poder Judiciário sob o aspecto da legalidade e da necessidade do respeito à função social da propriedade.

O magistrado também apontou que o condômino tem o direito de “usar e fruir, com exclusividade, de sua unidade autônoma, segundo suas conveniências e interesses, condicionados às normas de boa vizinhança, e poderá usar as partes e coisas comuns de maneira a não causar dano ou incômodo aos demais moradores, nem obstáculo ou embaraço ao bom uso das mesmas partes por todos”.

CPI quer investigação sobre maus-tratos de cão e pede Conselho que apure conduta de veterinário

pitoco

Pitoco chegou a ser resgatado mas veio a óbito dias depois. Foto: Divulgação

Na última quarta-feira, 15, a CPI Contra Maus-Tratos aos Animais da Assembleia Legislativa, presidida pela deputada Janete de Sá (PMN), ouviu os depoimentos do tutor do cachorro Pitoco e do veterinário que atendeu o animal, resgatado pela CPI, em um material de construção em Vila Velha.

A sessão contou com as presenças do delegado Eduardo Passamani, da delegacia do Meio Ambiente e Causa Animal, de Roseanne Abrante, do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV), e de Mariza Danielle Alves de Melo,  da Comissão Especial de Proteção e Defesa Animal da Ordem dos Advogados do Brasil.

O veterinário Rafael Ribeiro, que fez o primeiro atendimento ao animal depois que o mesmo foi resgatado, confirmou que Pitoco estava pele e osso, machucado, anêmico, desidratado e fraco. De acordo com ele, os sintomas levavam a suspeita de que o animal estava com a doença do carrapato. O veterinário fez um laudo de atendimento onde não consta por escrito que o animal necessitaria de internação. Depois de receber atendimento na clínica veterinária na Ponta da Fruta, em Vila Velha, o cachorro foi levado para um abrigo em Guarapari, onde morreu no dia seguinte.

Diante das declarações do veterinário, a presidente da CPI, deputada Janete de Sá, pediu ao CRMV a abertura de processo administrativo para apurar se houve negligência na conduta do veterinário.

Na sequência quem prestou depoimento foi o tutor do animal, o comerciante José Luiz Santos de Souza. Ele alegou que adotou Pitoco há mais de seis meses e que o mesmo tinha fugido, ficando cerca de um mês desaparecido. Também disse que o animal retornou ao material de construção que possui, na Ponta da Fruta, às vésperas do último feriado e que o mesmo estava muito magro e machucado. Disse ainda que foi um funcionário que recolheu o cachorro, alimentou e deu comida a ele, uma vez que o comércio não funcionou.

As explicações não convenceram os integrantes da CPI, que encaminharam o Boletim de Ocorrência e as imagens do animal, que foram amplamente divulgadas na internet, para o delegado que acompanhava a sessão. “Esse é o segundo animal que o comerciante tinha e foi a óbito. Diante de tudo que foi apurado pela CPI até o momento, estamos solicitando a polícia civil que dê prosseguimento à investigação para identificar os responsáveis pelos maus-tratos ao Pitoco e encaminhe processo para o Ministério Público Estadual oferecer denúncia à Justiça” declarou a deputada Janete de Sá.

A parlamentar declarou ainda que vai sugerir a Prefeitura de Vila Velha que adote a mesma lei existente em Vitória, que proíbe a utilização de animais para vigilância.

A CPI pode ser acionada em caso de maus-tratos contra os animais pelo e-mail: [email protected]

Dor em animais de companhia pode ser maior no inverno

Especialista alerta para que o dono do animal fique atento a alguns sintomas. Foto: Divulgação

A chegada do inverno está muito próxima, por isso os cuidados com os animais de companhia nesse período devem ser redobrados. Por conta das temperaturas baixas e o desconforto gerado pelo frio, os pets ficam mais frágeis e podem sofrer com o aumento de dores. Isso costuma acontecer devido à vasoconstrição, um processo de contração dos vasos sanguíneos.

Tais contrações mantêm o organismo mais aquecido, circulante, com uma temperatura mais constante. “Entretanto, quando há a vasoconstrição e os músculos ficam mais retraídos, o frio torna-se mais sensível em terminações nervosas, então eleva-se a sensação de dor no cérebro”, alerta a médica-veterinária da UCBVET Saúde Animal, Mariana de Castro Amâncio.

Animais com algum tipo de convalescência tendem a sofrer mais com dores no período de baixas temperaturas, como os mais magros, com problemas articulares, alguma patologia degenerativa como a displasia coxofemoral, doença que costuma afetar animais de idade avançada e de algumas raças específicas que causa disparidade entre a massa muscular primária e o rápido crescimento ósseo.

Para saber se o seu animal de estimação está com alguma doença ou sofre com aumento de dores nesse período de temperaturas amenas, é preciso ficar atento a alguns sintomas. Um dos pontos a serem analisados é a vocalização do animal, quando há um choro, latido ou miado com certa frequência, representando a sensação de algo doído. Outro sintoma visível é a claudicação, quando o animal começa a caminhar mancando.

“Além do aumento da dor, os animais podem apresentar situações de falta de apetite, apatia, isolamento e até mesmo certa resistência para atividades comuns ao dia a dia, como uma simples caminhada até o dono”, alerta Mariana.

Especialista alerta para a doença renal nos gatos

Além das idas frequentes ao veterinário, Dr. Thiago indica que o tutor fique de olho no consumo de água e na alimentação do seu felino. Foto: Arquivo TN

50% dos felinos com mais de 12 anos são acometidos por alguma doença renal e, infelizmente, os sintomas podem aparecer quando os rins já estão com mais de 75% das funções comprometidas. Quem alerta é o médico veterinário Thiago Marçal, especialista técnico da Nutrire.

“A doença renal crônica (DRC) é um mal silencioso e progressivo, que afeta os gatos mais velhos, mas pode aparecer em qualquer idade. As complicações variam de acordo com o estágio da doença e a prevenção ainda é o melhor remédio”, explica o veterinário. Como a DRC não tem cura, o que se faz com os tratamentos disponíveis é garantir qualidade de vida aos pacientes. “Todos os animais precisam ir ao médico ao menos duas vezes ao ano, os pets acima dos oito anos necessitam de acompanhamento médico a cada quatro meses”, conta.

São essas idas ao veterinário que garantem a descoberta precoce da doença”, diz Dr. Thiago. Segundo o especialista, é preciso estar atento às reações dos felinos, como o emagrecimento repentino e a perda de apetite. O aumento do consumo de água é um dos sintomas mais comuns em gatos com problemas renais. Consequentemente, é possível verificar também o aumento do volume da urina. “Se o animal apresenta letargia, depressão e se movimenta pouco também pode ser que esteja desenvolvendo a doença”, explica.

Os vômitos aparecem em estágios mais avançados e podem definir o tipo de tratamento, que vai desde medicamentos até internação com hemodiálise. “Se o animal faz exames de sangue e de imagem regularmente, muito dificilmente chegará de surpresa ao estágio avançado da DRC, visto que os níveis da creatinina, aliados a outros fatores, normalmente apresentam elevação. Além disso, as ecografias e ressonâncias mostram perfeitamente o estado de preservação dos rins e se os mesmos apresentam algum sinal de desgaste. O conjunto desses dois elementos é a segurança de que o pet está sendo monitorado constantemente”, alerta.

Além das idas frequentes ao veterinário, Dr. Thiago indica que o tutor fique de olho no consumo de água e na alimentação do seu felino. “A ingestão da água é uma das formas de retardar a doença. Vasilhas ou fontes em diferentes locais da casa podem motivar o pet a beber mais ainda quando jovem – o que faz toda diferença na fase adulta e idosa do animal. A alimentação precisa ser balanceada, com fonte de proteína de alta qualidade e níveis controlados de fósforo, magnésio e sódio”, conta.

Servidor da CPI dos Maus-Tratos resgata cachorro acorrentado no ES

O animal foi levado para uma clínica veterinária que terá tratamento custeado pelo tutor. Foto: Divulgação

Um cachorro que vivia acorrentado num material de construção em Vila Velha foi resgatado por um servidor da CPI dos Maus-Tratos da Assembleia Legislativa do ES, na última quarta (1).

A presidente da CPI, Janete de Sá (PMN) foi acionada por protetores de animais para falar da situação do animal que que estava acorrentado no terreno de um material de construção, localizado na Ponta da Fruta, em Vila Velha. Janete imediatamente designou o servidor da CPI, Juarez Lima, para averiguar o caso. 

Os vídeos, compartilhados nas redes sociais, mostram que o cachorro, que atende pelo nome de Pitoco, aparenta estar desnutrido e recebeu ração e água fresca de populares que  passavam pelo local e se compadeciam com a situação.

Depois da denúncia o cachorro foi retirado do local e nesta quinta (2) pela manhã, foi resgatado pela CPI em uma chácara do suposto tutor, sendo encaminhado imediatamente para um médico veterinário. Na clínica, que fica na rodovia do sol,  Pitoco fez exames, recebeu vacinas e suplementos. O tratamento está sendo custeado pelo tutor.

A deputada informou ainda que o cão se encontra em segurança, em um abrigo cedido por um protetor da causa animal onde segue em tratamento para recuperação de sua plena saúde. “Agradecemos os protetores que se empenharam na denúncia e que nos motivam a trabalhar em defesa dos  animais, fazendo justiça e buscando punir os culpados”.

Diante dos fatos a presidente da CPI, deputada Janete de Sá, vai convocar o possível tutor para prestar esclarecimentos. Ainda de acordo com a deputada o caso vai ser encaminhado também para o Ministério Público Estadual.

As denuncias de maus-tratos contra os animais devem ser encaminhadas para a CPI pelo email – [email protected].

Projeto de lei

A deputada estadual  Janete de Sá (PMN), protocolou um projeto de lei que, garante a mulher que sofre violência doméstica o direito de guarda/tutela temporária do animal de estimação da família enquanto durar o processo de investigação.

Um levantamento feito pela Associação Amigos Defensores de Animais e do Meio Ambiente (AADAMA), em parceria com a Júnior Projetos Consultoria da Fafire, revelou que 71% das mulheres vítimas de violência doméstica tiveram seus animais ameaçados, feridos ou mortos pelos parceiros. “A partir do momento em que um animal de estimação passar a morar na casa da família, ele também vira alvo de possíveis agressões. O animal se torna, ainda, um meio do agressor descarregar a raiva, tornando-se assim mais uma vitima”, justificou a deputada.

De acordo com o Projeto de Lei, o direito temporário da guarda/tutela se iniciaria a partir do boletim de ocorrência que registra o ato de violência doméstica. No caso de condenação, a guarda/tutela passa a ser permanente.

O Projeto de Lei 259/2019 vai ser analisado pelas comissões de Justiça, Meio Ambiente, Segurança e Finanças, antes de ser votado pelo Plenário.

Confira o estado do animal no vídeo:

Homem que arremessou cachorro de ponte poderá pagar multa por crime de maus-tratos

O cabeleireiro Gildo confessou que jogou o animal. O crime aconteceu no último dia 22 de março. Foto: Divulgação

O homem que arremessou um cachorro de uma ponte em Ibatiba confessou o ato diante da CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa, na tarde desta quinta (11).

No depoimento, o cabeleireiro Gildo Rodrigues de Souza Carvalho, acompanhado do advogado, confirmou que arremessou o cachorro de uma altura de aproximadamente 2 metros dentro de um riacho, que segundo ele, tem cerca de 20 cm de profundidade. O animal foi socorrido e sobreviveu.

Gildo declarou ter sido atacado por vários cachorros enquanto passeava de bicicleta com o filho de dois anos, dias antes do crime, que ocorreu no último dia 22 de abril. Sem apresentar uma justificativa plausível, o cabeleireiro declarou que não teve a intenção de ferir o animal e que estaria sendo julgado pelos moradores da cidade por sua atitude. Ele foi denunciado por moradores da cidade e o crime foi flagrado também por câmeras de segurança existentes no local.

Diante das declarações, a presidente da CPI, deputada Janete de Sá (PMN), considerou covarde a atitude do denunciado, uma vez que o animal não tinha feito nada com ele. “A CPI vai encaminhar o depoimento do senhor Gildo para a promotoria de Ibatiba e para a delegacia da cidade, que estão apurando o caso. Entendemos que o denunciado, do ponto de vista técnico, assumiu os riscos de machucar e até mesmo de matar o animal, por isso em caso de aplicação de multa, vamos sugerir que o recurso seja destinado para alguma ong ou entidade que cuide de animais em Ibatiba. Além desse caso, a CPI vai pedir esclarecimentos ao prefeito sobre denúncia de animais envenenados no município. De acordo com o vereador do PMN Marquinhos Delega, que também é veterinário em Ibatiba, nos últimos dois dias atendeu 15 cachorros envenenados na região”, declarou a deputada Janete de Sá.

Participaram da reunião da CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais, a presidente da Sopaes, Regina Mazzoco, dois procuradores da Assembleia, e protetores de animais, que vieram do município de Sooretama para acompanhar os trabalhos da Comissão.

As denúncias de maus-tratos devem ser encaminhadas para a CPI pelo email: [email protected]

 

 

Evento pet com feira de adoção, desfile, ciclo de palestras e entretenimento no fim de semana

Filhotes e adultos, tanto de cães como de gatos estarão a procura de um lar no local. Foto: Divulgação

Especialistas afirmam que animais de estimação proporcionam mais felicidade na vida das pessoas e ajuda na prática de atividades físicas com caminhadas e passeios. Mais do que levar amor para casa, quando a opção é adotar um animal, salva-se uma vida e contribui-se para diminuir o número de animais jogados a própria sorte nas ruas.

Quem deseja adotar um cão ou gato terá oportunidade na Pet Fair ES, que acontecerá neste final de semana, nos dias 13 (sábado) e 14 (domingo) de abril, no Espaço Patrick Ribeiro, na Área de Eventos do Shopping Vila Velha.

O evento vai contar, nos dois dias, com uma feira de adoção de animais das ong’s Amizade é um Luxo e Patinhas da Vila.

Cerca de 65 animais estarão à espera de um novo lar. Os pets serão entregues vermifugados e com as vacinas em dia. Animais adultos também são entregues castrados.

Para adotar é necessário ter mais de 18 anos e apresentar documentos como RG e comprovante de residência, além de assinar um termo de responsabilidade.

A Pet Fair ES terá ainda novidades em serviços e produtos para pets, palestras, desfile de pets e tutores, além de espaço de entretenimento.  

O ciclo de palestras contará com especialistas em animais e vai abordar temas como comportamento e psicologia animal; o auxílio dos cães de trabalho pelo Corpo de Bombeiros; dicas de como administrar as redes sociais do pet; a importância dos serviços de estética na hora do banho, entre outros assuntos.

Uma das atrações mais aguardadas é o desfile dos pets e seus tutores, que acontecerá no sábado, dia 13. Os bichinhos vão apresentar seus looks feitos sob medida. O objetivo é mostrar a relação de amizade, respeito e carinho entre o tutor e o seu animal de estimação.

O evento vai oferecer ainda um espaço de recreação para os pets, que também precisam de descontração e gasto calórico. O espaço terá um playground para animais, com bolas, bambolês, pelúcias e diversos brinquedos que enriquecem a diversão dos bichinhos.

O local vai funcionar no mesmo período da Pet Fair ES e contará com a presença de recreadores durante três horas por dia. O tutor também poderá brincar com seu pet na piscina de bolinhas, no pula-pula e em outros brinquedos.

Saiba mais:

Pet Fair ES

Evento com novidades em produtos e serviços para animais de estimação. Terá desfile de pets, ciclo de palestras, espaço de entretenimento e feira de adoção de animais.

Local: espaço Patrick Ribeiro, na Área de Eventos do Shopping Vila Velha

Data: Sábado (13 de abril de 2019): 10h às 21h

Domingo (14 de abril de 2019): 10h às 18h

Programação

Pet Place (Ciclo de Palestras)

Sábado, dia 13

14h – Esporotricose: aspectos gerais e perspectivas no Espírito Santo (Palestrante: veterinário Bruno Rediguieri)

16h – Psicologia canina, o cão no contexto urbano (Palestrante: especialista em comportamento canino Marcelo Medeiros)

18h – Cães de trabalho: o uso de cães pela Equipe de Busca, Resgate e Salvamento com Cães do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Espírito Santo

Domingo, dia 14

11h – Catiorros fofíneos nas redes sociais: Goldinho Oliver e Joquinha (Palestrantes: tutores Leonardo e Luciana Carraretto)

14h – Alergia em cães: reconheça, entenda as causas e tenha sucesso no tratamento (Palestrante: veterinária Aline Galante)

16h – A importância de serviços de estética na hora do banho (Palestrante: groomer Ricardo Santiago)

Pet Show (Desfile de pets)

Sábado, dia 13: às 19h

Pet Fun (Recreação para pets)

Sábado, dia 13: das 13h às 16h

Domingo, dia 14: das 14h às 17h

Pet Love (Feira de adoção)

Sábado, dia 13: das 10h às 17h (Amizade é um Luxo)

Domingo, dia 14: das 10h às 18h (Patinhas da Vila)

Valores: R$ 10,00 entrada individual, R$ 15,00 passaporte família (para três pessoas).

Informações: 3314-5117 ou pelo site www.petfaires.com.br. 

Homem que jogou cachorro de ponte em Ibatiba presta depoimento na CPI

A deputada Janete de Sá preside a CPI dos Maus Tratos. Foto: Divulgação

A CPI dos Maus-Tratos Contra aos Animais vai ouvir nesta quinta-feira, 11,  o depoimento de um empresário de 47 anos, que foi denunciado de ter lançado um cachorro de uma ponte, no município de Ibatiba, interior do Estado.

A CPI é presidida pela deputada Janete de Sá (PMN) que disse que recebeu imagens de câmeras de segurança que registraram o momento em que o denunciado captura o animal pela cauda e arremessa o cachorro da ponte, de uma altura de aproximadamente três metros, no centro da cidade. “As informações dão conta de que o  animal sobreviveu, mas teve fraturas nas pernas”, declarou a deputada.

A reunião da CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais acontece nesta quinta-feira, 11, às 14hs, no plenário Rui Barbosa e é aberta ao público.

Bom de faro: confira quais são as raças mais farejadoras

Cão da raça Basset Hound. Foto: Divulgação

Você sabia que o cachorro Basset Hound faz parte de uma linhagem de grandes farejadores? Assim como essa, cães como pastor alemão, labrador e beagle também possuem esse sentido bem apurado.

O olfato dos cachorros, em geral, é excelente, mas algumas raças apresentam o sentido extremamente aguçado, indo além do esperado. Certos perfis de cães são capazes de diferenciar cheiros muito semelhantes e farejar até longas distâncias.

Normalmente, cães que apresentam essa característica farejadora, são bastante utilizados pela polícia com o intuito de detectar drogas, resgatar vítimas e até mesmo rastrear suspeitos.

Confira as raças com os melhores faros abaixo:

Pastor alemão

Os cães que pertencem à raça pastor alemão são imponentes por sua aparência e tamanho. Além de apresentarem um porte bonito, também impressionam qualquer um pela sua capacidade olfativa.

Não por acaso que estão entre as raças mais utilizadas pelas forças policiais espalhadas pelo mundo todo. Além de apresentar uma capacidade de farejar excelente, também é obediente, inteligente e possui facilidade no aprendizado.

A união dessas características o torna perfeito para o trabalho de resgate, busca de criminosos e apreensão de drogas. Além disso, os cães dessa raça se mostram tranquilos, dóceis e carinhosos, mas sempre alerta, perfeito para uma casa ou sítio.

Labrador Retriever

Nos últimos anos, foi construída a imagem do labrador como um cão animado, alegre, engraçado e familiar, muito disso, por conta dos filmes que essa raça protagonizou. Mas a verdade é que esse cachorro apresenta o olfato extremamente desenvolvido.

Além disso, apresenta um porte musculoso e atlético, o que o torna perfeito para ser utilizado como cão-guia para cegos e nas mais diversas operações de resgate, salvamento e busca.

Sua inteligência impressiona, mas fique alerta! Para aprender a receber ordens, o treinamento deve começar ainda quando filhote.

Basset Hound

Originalmente, os cães dessa raça de orelhas compridas, eram utilizados por caçadores com o intuito de rastrear coelhos e lebres. Foram escolhidos para essa função pelo seu tamanho e por apresentarem um faro excelente.

Hoje em dia, essa raça é pouco utilizada dessa forma e, por isso, adora perseguir alguns animais por conta desse resquício de caçador.

Além disso, são cães dóceis, gentis e afetuosos, mas precisam de um dono firme para decretar as regras, já que podem ser muito bagunceiros.

Golden Retriever

Golden Retrievers costumam chamar atenção, não somente por seu pelo dourado, mas também pela simpatia. Não é à toa que são os cachorros preferidos para se ter em casa.

Não são agressivos, são obedientes e podem servir como cães de alerta e como uma forma de proteção para quem mora sozinho. As famílias adoram!

Mas, além de tudo isso, esses cães apresentam ótimas habilidades olfativas. São muito inteligentes e ótimos farejadores, o que os tornam perfeitos para situações de salvamento e para guiar pessoas com deficiência.

Cão de Santo Humberto

Também conhecido como Bloodhound, sua aparência parece muito com a do Basset Hound. Apesar de passar a impressão de ser cansado e preguiçoso, seu olfato é excelente.

Na verdade, ele é um dos melhores do ramo. Originalmente, era bastante utilizado como cão de caça, o que explica sua alta capacidade olfativa. É bastante utilizado pela polícia e também serve como um ótimo pet de companhia.

Beagle

Apesar de seu pequeno porte – muito diferente das raças apresentadas até aqui – possui um olfato invejável. Assim como outros cães, possui em suas origens a função de farejador, pois caçava lebres e coelhos.

Os anos se passaram e essa característica ainda é bastante predominante nos cachorros dessa raça.

É um cão alerta e esperto, mas, ao mesmo tempo, pode ser teimoso e desobediente. Treiná-lo é um desafio, já que se distrai facilmente e não decora as regras.

Foxhound inglês

Muito parecido em aparência com o Beagle, à exceção de ser mais alto e considerado de porte grande. Também foi criado para caçar animais, por conta do seu faro apurado. É um cachorro rápido, resistente, enérgico, afetuoso, amigável e equilibrado.

Terrier escocês

Não costuma ser uma raça tão popular, mas se encontra entre os melhores cães farejadores, com certeza. Esse cachorro foi criado por fazendeiros para lidar com ratos, raposas, texugos e outras ameaças. É por isso que seu faro é tão apurado.

Essas são algumas das melhores raças de cães farejadores que existem no mundo. É claro que a lista não termina aqui, mas já dá para ter uma noção do quanto os cachorros são bons nisso e podem ser utilizados nas mais diferentes situações!

Conteúdo: Agência Gear SEO

CPI conclui que foi acidental a morte do cachorro em varanda de apartamento

O animal foi retirado do apartamento por protetores de animais. Foto: Reprodução vídeo

O dono do cachorro encontrado morto numa varanda de um apartamento em Jardim da Penha foi ouvido pela CPI dos Maus-Tratos aos Animais na Assembleia Legislativa.

A reunião aconteceu na última quinta (14) e os integrantes da CPI ouviram o depoimento das protetoras de animais e do dono do cachorro, da raça buldog frânces, encontrado morto na varanda de um apartamento em Jardim da Penha, na tarde do último domingo, dia 10.

As três protetoras que fizeram o resgate do cachorro, conforme foi amplamente mostrado em vídeos, compartilhados nas redes sociais, declararam que acionaram os Bombeiros e a Secretaria de Meio Ambiente de Vitória e não obtiveram êxito para conseguir salvar o animal. Alegaram também que não acreditam que o dono prendeu propositalmente o animal na varanda, tratando-se de um acidente.

O universitário, de 20 anos, dono do buldog prestou depoimento acompanhado do advogado. Os pais do rapaz também estavam presentes. Muito emocionado, ele declarou que amava o animal e estava sofrendo muito com a perda. O tutor do cachorro disse ainda que deu banho, comida e brincou com o mesmo antes de sair de casa para almoçar, deixando o cachorro no quarto. Relatou ainda que devido a um ponto cego na varanda, não viu o cão ir para o local e só ficou sabendo do ocorrido quando foi acionado por uma prima, se desesperando ao ver o animal morto.

O depoimento causou comoção nos presentes. Na galeria lotada, várias pessoas não conseguiram conter o choro ao ouvir o relato do rapaz, que chegou a ser aplaudido e recebeu um pedido de desculpas público por parte da Sociedade Protetora dos Animais.

A presidente da CPI, deputada Janete de Sá, agora vai identificar porque os agentes públicos não prestaram socorro ao animal. “Nós vamos pedir ao Ciodes o relatório das chamadas relativas ao caso para identificar quem recebeu a ligação e se o pedido para resgatar o animal foi repassado aos Bombeiros. Também vamos apurar se o telefone 156, da Prefeitura de Vitória, recebeu ligações nesse sentido. A CPI vai trabalhar em parceria com as prefeituras, o governo do Estado e os protetores de animais para garantir que existam serviços efetivos que possam ser acionados a qualquer hora do dia e da noite, para agir em casos em que os animais estejam em situação de risco”, declarou a parlamentar.

Janete propôs ainda uma reunião com o governador Renato Casagrande para solicitar a criação de um hospital veterinário no Estado.

CPI dos Maus-Tratos vai apurar morte de cachorro em Jardim da Penha

O animal foi retirado do apartamento por protetores de animais. Foto: Reprodução vídeo

A morte de um cachorro da raça bulldog, ocorrida no último final de semana, na varanda de em um apartamento localizado no bairro Jardim da Penha, em Vitória, vai ser alvo de investigação da CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa.

Um vídeo mostrando o resgate do animal morto na varanda foi postado nas redes sociais e causou revolta dos internautas. Supostamente o cachorro morreu por conta do calor intenso, já que estava trancado na varanda. O resgate foi realizado por protetores de animais.

A CPI que é presidida pela deputada estadual Janete de Sá (PMN) se reúne nesta quinta-feira (14) às 14hs, para apurar o caso.

“Diante dos fatos estamos convocando o tutor do animal, e o secretário de meio ambiente de Vitória, para apurar o caso. Também vamos ouvir os protetores que fizeram o resgate e vizinhos, para tentar identificar se houve crime de maus-tratos. Como presidente da CPI já acionei a Polícia Civil, através do delegado Ludogério Ralf, titular da Delegacia de Meio Ambiente e Causa Animal, para instaurar inquérito policial tomar as providências que o caso requer”, esclareceu a deputada.

As convocações da CPI foram encaminhadas nesta segunda-feira (11). As denúncias de maus tratos aos animais podem ser encaminhadas para a CPI pelo email – [email protected]

Janete de Sá continua à frente da  CPI dos Maus-Tratos na Assembleia

Á frente dos trabalhos estará a deputada Janete de Sá como presidente. Foto: Divulgação

A deputada Janete de Sá continuará à frente da dos trabalhos realizados pela CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

Com o objetivo de dar continuidade ao trabalho de defesa e proteção dos animais, iniciado pela parlamentar em 2016, Janete nessa legislatura vai ter como vice-presidente o deputado Vandinho Leite, e relator, Delegado Lorenzo Pazolini. Também integram a CPI os deputados Rafael Favatto, Fabrício Gandini e Carlos Von. A primeira reunião de trabalho acontece após o carnaval.

Sábado tem feira de adoção de animais em Laranjeiras

Cerca de 18 animais entre cães e gatos estarão disponíveis para adoção no shopping MontSerrat. Foto: Divulgação

Neste sábado (23) tem feira de adoção de animais em Colina de Laranjeiras, no Shopping MontSerrat. Será das 13 às 18 horas no piso L1 e a realização é uma parceria entre os abrigos Ame Um Pet e Vira Lata Vira Luxo. Cerca de dezoito cães e gatos estarão a espera de famílias responsáveis pra adotá-los.

Para levar o pet para casa é necessário ter mais de 21 anos, apresentar um documento com foto e um comprovante de residência, além de participar de uma entrevista no ato da adoção.

Laísa Rampinelli, uma das organizadoras do evento e do Ame um Pet, conta o quanto esse evento é importante tanto para os bichinhos como para o abrigo. “Os animais de abrigo são muito distantes e é nítido a tristeza deles, quando vejo alguém adotando sei que essa realidade vai mudar”, conta.

Laísa frisa ainda que manter um abrigo também é uma situação complicada. “Não temos ajuda financeira, então o que fazemos é levar nossos produtos, canecas e camisas, por exemplo, para vender nas feiras de adoções, é o que nos ajuda”, finaliza Laísa.

Serviço – Feira de Adoção

Quando: Neste sábado (23), das 13h às 18h.

Onde: Shopping Montserrat (Avenida Eldes Scherrer Souza, 2162 – Colina de Laranjeiras, Serra – ES, 29167-080)

Mais informações: (27) 3422-2100

Animais de estimação visitam pacientes internados e ajudam na recuperação

A cadela Natali visita sua dona no Vitória Apart Hospital, na Serra. Foto: Divulgação

Quem tem animal de estimação e passa por uma situação de internação hospitalar sabe o quanto é difícil contornar a saudade do bichinho. Pensando nisso e ainda nos inúmeros benefícios, cientificamente comprovados, que a presença do pet pode proporcionar ao paciente, alguns hospitais capixabas abriram suas portas para receber esses visitantes tão especiais. Seguindo regras e orientações específicas, os animais podem visitar os pacientes e, além de matar a saudade, ajudar na sua recuperação.

Pioneiro no Espírito Santo nessa área, o Vitória Apart Hospital (VAH), em Carapina, na Serra, recebeu, na semana passada, um desses visitantes de quatro patas. A cachorrinha Natali visitou sua dona, que estava internada no hospital e já recebeu alta.

Essa ação faz parte do Protocolo de Visita Pet do Hospital, uma iniciativa que visa proporcionar uma experiência individualizada e humanizada, estimular a autonomia do paciente e também trazer formas de lidar com o adoecimento.

A justificativa é que por serem parte do cenário familiar como qualquer outro membro, os animais de estimação conseguem reconfortar os pacientes e proporcionar um pouco da normalidade de suas vidas dentro do ambiente hospitalar.

As regras para visitar o paciente variam de acordo com cada instituição, mas de forma geral, o bichinho tem que ser dócil, possuir um laudo veterinário que ateste suas boas condições de saúde, estar com as vacinações e vermifugações em dia e ter tomado banho no dia da visita. Tudo, claro, com prévia autorização médica.

No caso do Vitória Apart Hospital (VAH), além destas orientações, a visita só é permitida para pacientes sem previsão de alta nos próximos sete dias; que não estejam em precaução de isolamento de contato, gotícula e/ou aerossol; e que não estejam internados na Unidade de Terapia Intensiva e Centro de Tratamento de Queimados.

Cães e gatos castrados para adoção em Vila Velha no sábado

Estarão na feira cerca de 80 animais, entre cães e gatos. Foto: Divulgação

Neste sábado (9) cerca de oitenta animais entre cães e  gatos estarão  a espera de um lar na Feira de Adoção de Cães e Gatos que será realizada no Shopping Vila Velha, a partir das 10 horas. O evento será no G2, próximo à Decathlon, no G2.

Haverá animais de portes e idades diversas, todos sem raça definida. “Acreditamos na adoção como a melhor forma de ter um cão ou um gato. Para que comprar, se é possível adotá-los e diminuir o abandono de animais? Nas últimas edições realizadas, ficamos muito felizes porque a maioria dos pets foi adotada”, afirma Yara Guimarães da ong Amizade é um Luxo.

Os animais com mais de seis são todos castrados. Já os filhotes serão entregues com vale castração, ou seja, poderão fazer a cirurgia quando o animal estiver na idade correta por valor acessível. Todos estão vacinados e vermifugados.

Para adotar é necessário ter mais de 18 anos, levar comprovante de residência e documento com foto. Cada protetor tem seu critério de adoção, faz entrevista com o interessado e se passar pelo aval do tutor temporário do bichinho, assina-se um termo de responsabilidade.

Serviço:

Feira de Adoção de Cães e Gatos:

– Sexta edição

– Dia: 9 de fevereiro

– Horário: a partir das 10h

–  Local: G2, próximo à Decathlon

–  Realização: Shopping Vila Velha e ONG Amizade É Um Luxo.

Confira alguns animais que estão na feira de adoção:

 

 

Mais de 250 animais remanejados na área da ArcelorMittal

No ano passado 10 jacarés foram remanejados. Foto: Projeto Caiman/Leonardo Merçon

Cobras, jacarés, gambás, cães, gatos, macacos e até abelhas e marimbondos foram encontrados na área da ArcelorMittal Tubarão, em 2018, e recolhidos pela equipe de Bombeiros da empresa. Na lista entram, ainda, porcos-espinhos, pássaros, lagarto, tartarugas, raposa e morcego.

Foram remanejados em 2018, 17 gatos, 73 abelhas, 10 jacarés, 4 porcos-espinhos, 4 pássaros, 67 marimbondos, 4 gambás, 1 lagarto, 8 cães, 51 cobras, 2 macacos, 1 periquito, 8 tartarugas, 1 raposa, 2 macacos e 1 morcego.

Após a captura, todos esses animais são soltos em áreas naturais mais adequadas, algumas vezes dentro da própria usina, que possui amplo cinturão verde, com mais de 35 mil metros quadrados e 2,6 milhões de árvores, fazendo da empresa um grande e verde reduto natural de espécies da fauna e flora diversas.

Seis coleiros e dois trinca-ferros são recolhidos em Laranjeiras Velha

Os pássaros foram recolhidos em Laranjeiras Velha. Foto: Divulgação

Oito pássaros silvestres foram recolhidos na manhã desta quarta-feira (30) no bairro Laranjeiras Velha. A equipe de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente (Semma) da Serra, juntamente com a Guarda Civil Municipal, realizou apreensão de seis coleiros e dois trinca-ferros.

Após a apreensão, os pássaros foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Ibama. No local, que fica em Barcelona, os animais serão tratados por  veterinários, e, em seguida, serão enviados ao Centro de Reintrodução de Animais Selvagens (Cereias), em Aracruz, onde serão reabilitados à vida livre e devolvidos ao habitat natural. As informações são da Prefeitura da Serra.

A multa para quem for pego com animais silvestres varia de R$ 50 a R$ 300, mais R$ 50 por espécie, e para animais que estão na lista de extinção é de R$ 100. Se tiver mais de três unidades, é caracterizado como comércio ilegal e a multa é aplicada em dobro. Com mais de 10 unidades, é considerado tráfico de animais e multa é multiplicada por cinco.

Quem quiser denunciar a manutenção de animais silvestres em cativeiro deve ligar para 99951-2321/ 0800 283 9780 e o e-mail é [email protected]

Incêndio no TIM’s pode interferir na fauna silvestre, diz ambientalista

Irerês fugindo do fogo. Foto: Hilton Monteiro

O incêndio de grandes proporções que atingiu parte das instalações da Petrobras, no Terminal Industrial Multimodal da Serra – Tims, também prejudicou a vida de animais silvestres que tem nos alagados do Mestre Álvaro, seu habitat natural.

O fotógrafo Hilton Monteiro Cristóvão registrou diversas espécies de pássaros fugindo do fogo na tarde do último domingo (28). O incêndio começou por volta das 17 horas, em uma área da Petrobrás, de aproximadamente 20 mil metros quadrados, onde encontram-se depositados equipamentos, como boias usadas em alto mar pela petrolífera e também tubos entre outros materiais e equipamentos.

Garça branca perdida em meio a fumaça preta. Foto: Hilton Monteiro

“O incêndio provoca distúrbios interferindo significativamente na fauna silvestre do Mestre Álvaro. Vi um bando de irerês totalmente confusos e fazendo revoadas desesperadas sem saber para onde ir. Esta situação de stress no animal pode resultar em fragilidade e alguns perdem até a fome ficando doentes e vindo a óbito. Em alguns casos o stress provoca infarto”, destaca Hilton que além de fotógrafo é ativista ambiental e acompanha a vida de animais silvestres em diversos pontos da Serra.

Segundo Hilton, a fumaça foi tão intensa e preta que o céu parecia que era noite. “Este efeito também altera o relógio biológico do animal antecipando o que seria uma revoada de fim de tarde. Além disso, o fogo se alastrou para o mato, neste momento eu vi uma perdiz atravessar desesperada a estrada de terra fugindo do fogo. Provavelmente esta perdiz será um indivíduo que irá vagar

Vegetação pegando fogo em volta da área da Petrobras. Foto: Hilton Monteiro

sem rumo até ser pega por um predador maior. O fogo causa um impacto ambiental horrível, pois antes os animais silvestres tinham um território muito bem definido, e agora eles se veem obrigados a buscar outro local que está ocupado por animais, na maioria das vezes predadores. É um grande problema, pois os animais que mudam de habitat são expulsos do seu ambiente natural e enfrentam a escassez de comida. Um incêndio numa área com animais silvestres é catastrófico”, detalha Hilton.

 

Multas de até R$ 684 para atos de crueldade contra animais no ES

Abandono de animais doentes, idosos ou sem sofrimento serão enquadrados na lei. Foto: Divulgação

Agora é lei. Quem for flagrado maltratando animais no Espírito Santo deverá pagar multa. A lei sancionada pelo governador Renato Casagrande foi publicada nesta segunda-feira (14) no Diário Oficial.

A lei fixa o pagamento de multas que variam entre R$ 51 e R$ 684. Será considerado maus-tratos abandono de animais doentes, idosos ou em sofrimento, permanência em local e condições inadequados, a locomoção do animal sem coleira e guia, o uso de enforcadores ou focinheiras não adequadas em cães e a comercialização irregular.

Toda ação ou omissão que gere abuso, sofrimento, maus-tratos, ferimentos de qualquer natureza, mutilação, transtornos psicológicos ou estresse de animais silvestres, nativos ou exóticos, domésticos e domesticados são consideradas maus-tratos.

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por