Serra, 20 de julho de 2017

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Amar é o Bicho

por Ana Paula Bonelli

Família pede ajuda para encontrar Batuta

A família Coitinho pede ajuda para encontrar o cachorro de estimação da casa, Batuta. Segundo Indria Coitinho, o animal desapareceu na noite da última sexta-feira (14) em Laranjeiras, próximo ao Shopping Laranjeiras e ao Terminal do Transcol.

Batuta é dócil, pretinho, peludo e está tosado. Outro detalhe que pode ajudar a identificar o cachorro é que o pelo no rabo está comprido. “Estamos desesperados, por favor se alguém o viu entre em contato conosco. Ele faz parte de nossa família”.

Se você viu o Batuta por aí pode entrar em contato pelos telefones 9 9905-1695,3328-9195 e 9 9582-9395.

Animais de rua também sentem frio: pequenas atitudes podem ajudar

Uma atitude simples como colocar caixas com panos dentro já ajuda a aquecer os animais de rua. Foto: Divulgação Amigo Não se Compra

Não só os moradores de rua que sofrem com o frio. Os animais que vivem abandonados em vias públicas também sentem a estação mais fria do ano.

Na Serra, em 2015 dados da Prefeitura da Serra, davam conta de que menos 13 mil cachorros viviam nas ruas da Serra.  Para amenizar o sofrimento desses animais, algumas pessoas usam a criatividade.

Edmaura Fonseca dá algumas dicas para quem quiser ajudar os peludinhos abandonados. “Costumo colocar caixas de papelão com algum peso dentro para não voar, forro com plástico e deixo para eles se abrigarem. Se tiver alguma marquise, dá pra colocar papelão para eles dormirem encima ou sacos de ração vazios, lonas, pedaços de panos. Tudo vale para tentar mantê-los um pouco aquecido”.

Ela conta que em frente a sua casa improvisou um abrigo com um pedaço de madeira velho e cobriu com lona. “Um espaço pequeno e tinham 9 cães encolhidos dentro tentando se proteger da chuva e do frio. É de cortar o coração”, destaca Edmaura que ressalta ainda a importância de deixar sempre ração e água fresca.

Fernanda Crema diz que até colocou uma caixinha de transporte embaixo da janela de seu apartamento para os gatos de rua. “Colocamos dois que ficam no meu condomínio para dormir dentro de casa. Para os outros, pois não temos espaço para todos, colocamos a caixa de transporte e cobriu com madeira e papelão. Mas eles também se abrigam embaixo dos trailers, embaixo das cadeiras de plásticos da região”.

Raquel Crespo também se importa. Ela diz que vai fazer um banco  em frente de sua casa com uma guarita para o gato que alimenta na rua. “Uma amiga minha coloca camisa nos cães de rua para ajudar a aquecer. Eu também procuro alimentar com patê os gatos de rua, por ser uma comida mais gorduros, acaba ajudando a aquecê-los”.

 

CPI dos Maus-Tratos vai denunciar PM por morte de gato em Vitória

Janete, presidente da CPI, disse não admitir crimes cruéis como este. Foto: Divulgação Ales

A CPI dos Maus-Tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa, presidida pela deputada Janete de Sá (PMN), vai encaminhar ao Ministério Público Estadual (MPE) denúncia contra o policial militar da reserva Naelson Fagundes. Ele foi denunciado pela morte de um gato, ocorrida no final do mês passado, no bairro Goiabeiras, em Vitória.

A denúncia foi feita pela proprietária do animal, a veterinária Flávia Pereira Fagundes, que também é sobrinha da vítima. Ela prestou depoimento na noite da última terça-feira, 4, e declarou que o agressor teria admitido o crime na presença dela, da irmã e da mãe da mesma. Ainda de acordo com a denunciante, ela suspeita que outros dois gatos que possuía, um que desapareceu e outro que foi envenenado, também podem ter sido vítimas do mesmo agressor.

O policial da reserva também prestou depoimento e confessou ter matado o gato da sobrinha. Ele alegou arrependimento e justificou que matou o animal com uma paulada na cabeça porque pensou que era um gato de rua e que o mesmo teria iniciado uma briga com o gato que possuí, por isso, para apartar a briga, ele desferiu um golpe mortal na cabeça do mesmo. O policial disse ainda que não tem problema com a família da sobrinha e negou que tenha responsabilidade pela morte dos outros gatos da denunciante. O senhor Naelson disse ainda que não teve oportunidade de pedir desculpa a sobrinha pelo ocorrido.

“Não podemos admitir que crimes cruéis como esse aconteçam e fiquem impunes. O policial apresentou uma versão de briga entre gatos que  não é comum no comportamento desses animais. Esse crime poderia ter sido evitado. Ficou claro que gato não teve chance de defesa.  Em virtude do que foi apurado pela CPI, nós vamos cobrar agilidade da polícia civil na investigação do crime tendo em vista de que a denunciante e a família dela estão com medo de represália por parte do agressor que mora no mesmo imóvel. Também vamos acionar o MPE para que acate a denúncia que vamos fazer contra o policial para que ele  seja punido com base na Lei 9605 que trata dos crimes ambientais”, declarou a presidente da CPI, deputada Janete de Sá.

Protetora de Cachoeiro é ‘enquadrada’ pela CPI dos Maus-tratos do ES

A deputada Janete de Sá preside a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra Maus-Tratos a Animais. Foto: Divulgação Ales

Na última sexta-feira (23) a CPI dos Maus-tratos Contra os Animais da Assembleia Legislativa do ES, esteve em Cachoeiro de Itapemirim para averiguar denúncias contra uma protetora da região.

As denúncias de maus-tratos foram feitas por três ONG’s, contra a protetora Márcia Liverani. Liverani chegou a ter um pedido de condução coercitiva acatado pelo juiz da 4ª Vara Criminal de Cachoeiro de Itapemirim, uma vez que se negava a receber notificações para comparecer a audiência.

No dossiê apresentado pelas ONG’s  Sopaes  (Sociedade Protetora dos Animais do Espírito Santo), Amakaxu e Patas de Rua, consta que a denunciada estaria cometendo crimes de maus-tratos contra animais, prática de estelionato virtual e uso indevido de recursos da ong Acaci.  Na denúncia consta também cópias de várias postagens que a mesma fez na internet falando mal de protetores e da atuação da CPI. O advogado e presidente da ongPatas de Rua, Fernando Ghio, reafirmou todas as denúncias em plenário. Além dele a CPI também ouviu os depoimentos de Kayna de Lucca, que é vizinha da denunciada, do radialista, Antônio Geraldo Almeida Costa e da presidente da ong Amakaxu, Selma Gomes. Todos reafirmaram as supostas denúncias contra a protetora.

Márcia Liverani, que preside a Acaci, estava acompanhada de um advogado e se reservou ao direito de só falar em juízo.

“Em virtude das publicações caluniosas que a senhora Márcia Liverani fez contra a Comissão Parlamentar de Inquérito em seu facebook, foi solicitado a procuradoria da Assembleia Legislativa que faça uma análise do material para adoção de medidas cabíveis contra a protetora. Temos realizado um trabalho sério e comprometido com a causa animal e não podemos aceitar esse tipo de acusação mentirosa por parte dessa senhora. Como a mesma se recusou a responder os questionamentos que foram feitos, dei um prazo de 15 dias para que ela apresente a Comissão todo o material da Acaci, a fim de averiguarmos  as denúncias. O material coletado será enviado ao Ministério Público, a Delegacia Ambiental e Causa Animal e a Delegacia de Crimes Virtuais. Acionaremos os órgãos competentes da Prefeitura Municipal de Cachoeiro para fiscalização e averiguações pertinentes”, declarou a presidente da CPI, deputada Janete de Sá.

Concurso para escolher nomes de cães usados em operações especiais da Polícia

A Companhia Especializada de Operações com Cães da PMES (CEOC) está realizando o concurso “Dia de Cachorreiro” para a escollha dos nomes de dois novos integrantes da Cia.

O concurso foi lançado nesta quinta-feira (08) na página oficial da Polícia Militar do Espirito Santo, no Facebook: https://www.facebook.com/policiamilitares/

O nome mais curtido nos comentários vai ganhar um “dia de cachorreiro” e a oportunidade de conhecer a rotina da CEOC. Além disso, será presenteado com brindes institucionais e exclusivos da PMES. O prazo será até dia 28 de junho às 17hs.

Atualmente o canil da Cia conta com  36 cães treinados e dois filhotes. O treinamento é realizado a partir dos três meses de idade, após todas as vacinas, até um ano e meio, onde o animal já está formado e pronto para trabalhar nas ruas.

Fogos de artifício e rojões: ajude seu bichinho de estimação a superar este medo

 

Quem tem animal de estimação em casa, sabe o quanto é estressando e até desesperador o barulho dos fogos de artifício. Para cães, especialmente, o problema é ainda maior, qualquer barulho que seja de rojões já é motivo para estresse, muitos animais chegam até a passar mal por conta do pânico com este tipo de barulho.  Gatos também podem ter medo destes barulhos. Em épocas de festas juninas, estes sons ficam mais constantes na vida dos bichinhos.

A veterinária Patrícia Ribeiro Oliveira, que atende na Mvet Clínica Popular e na Climev de Laranjeiras, alerta para o perigo destes barulhos para os cães, principalmente os de grande porte que são mais sensíveis aos fogos.
“O ideal é deixar o animal, tanto de porte grande como pequeno num ambiente onde a acústica seja baixa. Pode ser um quarto ou um banheiro e manter sempre as janelas e básculas fechadas. Ele irá se sentir mais protegido. Também pode deixar uma toalha ou um pano com o cheiro do proprietário. Isso irá proporcionar uma sensação de bem estar e segurança”.

Outra dica é colocar uma coleira de identificação no animal com os dados do proprietário com o telefone de contato.

A especialista em felinos, Letícia Gama de Souza, da Vet Gatos Clínica Veterinária disse que muitos gatos têm pavor de fogos de artifício e dá a dica: janelas fechadas além de evitar acidentes diminuem o som indesejável. “Alguns preferem se esconder em armário ou em caixas de transportes por se sentirem mais seguros. Alguns animais não se agitam se ficarem no colo, porém são raros, logo deve-se tomar cuidado com este procedimento para não se machucar. Deixar o gato em seu ambiente de rotina também ajuda a ficar menos estressado pois ele já sabe para onde correr quanto estiver com medo. A homeopatia também pode ser uma alternativa, mas deve ser iniciada antes das festividades”.

Ong da Serra aposta em terapia com animais em hospitais da Grande Vitória

 

Nélly Blanco com o seu cãopanheiro Pingo, funcionários do Hospital Meridional e a presidente da Adada, Glória Cunha. Foto: Divulgação

Por Vivian Nardoto

Não é  novidade para ninguém que os animais estão sendo cada vez mais considerados como um membro da família. Pensando nisso, a Adada (Associação dos Amigos dos Animais), está apostando e investindo na tendência mundial de humanização hospitalar, onde alguns hospitais abrem as portas para os animais como forma de auxiliar nos tratamentos muito prolongados ou dolorosos e no aumento da qualidade de vida dos pacientes considerados terminais. Também faz uma enorme diferença no tratamento de crianças, idosos, e pessoas especiais.

A Humanização Hospitalar não é uma técnica, e sim um processo que tem por objetivo tornar o ambiente hospitalar mais humano, socializar. Valorizando a dignidade  e a relação dos pacientes com a família e os profissionais de saúde.

Não podemos esquecer que esse processo necessita seguir protocolos de boas práticas, para evitar contaminação e transmissão de doenças para os pacientes envolvidos, e alguns “acidentes”.

Em geral, são utilizados os animais terapeutas nesse processo, que têm características de personalidade compatível com a “profissão” de terapeuta, e são especialmente treinados para saberem como se comportar em cada caso. Mas, também há a situação onde o paciente tem um animalzinho muito querido, e a presença dele de forma programada, faz muito bem , principalmente, para o emocional do paciente.

O pontapé inicial foi dado pela presidente da Adada, a médica veterinária Glória Cunha no hospital Meridional, em Cariacica. A primeira paciente a participar do projeto Animais Terapeutas foi Nélly Blanco, jornalista e professora, que está internada há 3 meses por consequência de um acidente de trânsito. Ela teve acesso ao seu cãozinho Pingo e emocionou a todos que estavam no local.

A visita de Pingo a Nélly ajudou inclusive a normalizar as taxas dos exames da paciente. Foto: Divulgação

“A visita do Pingo foi muito importante pra mim. Eu já estava bem cansada e sem muito alento, porque passei aqui dentro do hospital por um fim de namoro, estava muito decepcionada, muito triste e sentindo falta demais do meu menino, Pingo, meu companheiro. Ele é um cachorro que sempre fica ao meu lado nas horas felizes e tristes, não posso reclamar pois meus amigos me dão muito apoio, mas rever o Pingo, pegar ele no colo, sentir o cheiro dele, renovou minhas esperanças, a minha vontade de sair daqui logo. Até minhas taxas melhoraram, foi impressionante, de tanto que ele tem influência na minha vida. É um amor verdadeiro, que está sempre com você, que não te abandona. Foi maravilhoso poder ver o Pingo, conversei isso com a psicóloga e o Hospital Meridional conseguiu junto a Adada esta visita do Pingo e a visita dele foi um renovo pra mim. Eu faço tratamento de hiperbárica e foi necessário pessoas para me descer antes. Eu não tenho como agradecer isso. Ver ele me fez querer sair daqui e já pensar inclusive em retomar minha vida”.

Capivara é fotografada na lagoa Maringá

O clique aconteceu no último dia 3 de junho. Foto: Hilton Monteiro

Uma capivara foi pega em flagrante dando uma volta pela lagoa Maringá, em Manguinhos. O clique foi feito no sábado – dia 3 pelo fotógrafo Hilton Monteiro Cristovão que disse ainda que um grupo de cinco capivaras tem sido visto com frequência no local.

“A lagoa Maringá é uma lagoa artificial originada pelo represamento parcial do córrego Maringá, feito pela Rodovia ES-010, próximo ao balneário de Manguinhos, antes do posto da Polícia Rodoviária, ela se tornou um berçário de vida animal com muitos répteis, aves aquáticas e mamíferos”, destaca.

Hilton que é ativista ambiental dá a dica: “caso se encontre uma capivara em algum lugar indevido, não se deve tentar capturá-la, o correto é acionar a Polícia Ambiental que se encarregará de levar o animal para um habitat adequado.”

O fotógrafo que sempre passeia por Áreas de Preservação Permanente (APP) da Serra está sempre capturando imagens de animais silvestres. Já fez flagrantes na lagoa Jacuném e nos Alagados do Mestre Álvaro.

Família pede ajuda para encontrar gato perdido em Laranjeiras

Zeus sumiu em Laranjeiras, na rua Machado de Assis. Foto: Divulgação

Alguém viu este gatinho por aí? O pequeno Zeus tem apenas sete meses e está desaparecido desde o último dia 18 de maio. Ele sumiu na região do bairro Parque Residencial Laranjeiras, na rua Machado de Assis, próximo a Flipper escola de natação.

Os donos pedem ajudar para encontrar o animal. “Minha mãe disse que ele ficou na calçada pegando sol e após alguns minutos, foi atrás dele e não o encontrou mais. Apesar de parecer grande, ele só tem 7 meses, é filhote e não tem comportamento de sair das proximidades de casa dela. Achamos que roubaram ele e pedimos por favor que quem o pegou devolva. Dei ele para minha mãe quando meu pai faleceu e Zeus está fazendo muita falta para nós”, conta Renan Rodrigues Sanches.

Quem tiver informação sobre o paradeiro do gatinho pode entrar em contato WhatsApp 27 98116-9513.

               

Da tristeza das ruas ao sucesso nas redes sociais

Spock Nelson, Vick e Maya foram resgatados das ruas da Grande Vitória, adotados e hoje brilham com seus perfis nas redes sociais

Spock Nelson foi adotado por Patrícia Guimarães numa feira de adoção. Foto: Divulgação

Muitas pessoas fazem sucesso nas redes sociais por conta de suas postagens. Mas hoje, vamos falar de animais que foram adotados e ganharam perfil no Instagram e ‘lacram’ com suas fotos.

Um deles é o Spock Nelson adotado pela Patrícia Guimarães em uma feira de adoção da ong Amizade é um Luxo, em Cariacica. O cachorro foi adotado ainda filhote e em setembro fará oito meses que entrou para a família. “Ele trouxe mais harmonia e alegria pra casa. Além de  nos tornar menos sedentários. Também nos ensinou a ser mais pacientes e persistentes porque ensinamos tudo pra ele com calma e perseverança”, conta Patrícia.

Ela conta que a ideia de criar o Instagram veio de seu namorado. “Renato é arquiteto e super criativo. Ele queria dar visibilidade aos cães adotados e como eles são lindos mesmo sendo vira latas. Nosso objetivo é estimular mais pessoas a adotar e lá a gente compartilhou também as vacinas pra mostrar que precisa cuidar, a castração porque é responsabilidade nossa evitar que mais animais sejam abandonados. Também levantamos a bandeira que a adoção precisa ser responsável. Eles precisam de cuidados, comer uma boa ração, se exercitar e serem educados”.

Joana e Vick são companheiras inseparáveis de corrida. Foto: Divulgação

O Instagram de Spock Nelson é recheado de fotos fofas e quadrinhos engraçados e possui quase 2 mil seguidores. Clique aqui para conferir.

Já Juana Luiza Poleze, adotou a inteligente Vick de uma amiga. “Eu já tinha o Luck há três anos e sentia a necessidade de uma companhia pra ele. A gente começou a procurar e não queríamos comprar. Uma amiga resgatou a vick ainda com sete meses no centro de Vitória e ela ficava sozinha no terraço da casa dela. Quando minha mãe viu se apaixonou e a trouxe pra casa”, conta Juana.

A ideia de criar o Instagram veio do carisma da cachorra que hoje tem seis anos. “A Vick é muito inteligente e carismática, ama criança. Ela entende tudo que a gente fala, a entonação de voz, ama correr, é minha companheira de corrida. Dá a pata, brinca, ela tem peculiaridades que nunca vi nos outros cachorros. Mesmo tendo passado um tempo na rua, ela é muito dócil”.

Maya foi adotada pelo veterinário Thiago e virou mascote da clínica veterinária. Foto: Divulgação

No insta Vida de Vickao tem fotos divertidas e dicas pets. Clique aqui para conferir.

A cadela Maya saiu do abrigo Miaudote em Jacaraípe, e foi para o bairro Praia da Costa, em Vila Velha. Ela foi adotada pelo veterinário Thiago Oliveira e acabou virando a mascote da clínica veterinária Animed.

Thiago criou um Instagram para ela e faz o maior sucesso com suas fotos fofas que mostram desde travessuras a passeios e brincadeiras. Quando resgatada Maya teve que passar por diversas cirurgias, o que lhe rendeu o apelido de ‘Miss Bisturi’ . Clique aqui para conferir.

Jimmy Fofinho lança livro no Shopping Praia da Costa

Outro que faz muito sucesso é o cachorrinho da raça spitz alemão, Jimmy Fofinho. Ele é uma sensação nas redes sociais, com quase 40 mil seguidores, e agora, se torna personagem de um livro “Jimmy vai à escola”, que será lançado neste domingo, dia 28, domingo, de 15h às 19h no lounge do Piso L3 do shopping Praia da Costa. Será uma tarde de autógrafos e fotos com o Jimmy e o seu dono, o escritor do livro, jornalista Fabiano Gomes Gusmão. 

Jimmy tem 40 mil seguidores no Instagram. Foto: Divulgação

Conhecido como “Jimmy fofinho” pelos internautas, o spitz é o personagem do livro que tem como tema o “bullying na escola”. “O livro fala sobre bullying, mas eu não queria usar uma criança e,então, coloquei meu cachorro como um personagem. Na história, ele vai para a escola e sofre bullying onde os amiguinhos o criticam por ser gordinho. Sem querer, Fabiano relata que ele acabou abordando o problema pelo lado pet, mas a forma carinhosa acabou agradando muitos pais que se interessaram pelo tema e pela forma de contar.

Jimmy tem um perfil exclusivo na rede Instagram, onde toda a sua rotina é compartilhada e já possui quase 40 mil seguidores. Quem segue o cachorrinho recebe as respostas via direct e comentários como se fosse o próprio animal interagindo. Conhecido como “Jimmy fofinho” pelos internautas, o perfil existe há cerca de um ano e é atualizado, diariamente pelo dono. Segundo ele, inicialmente era só um perfil pessoal, mas mudou quando uma amiga deu a ideia de transformá-lo em um perfil exclusivo para Jimmy.

Sábado tem feira de adoção de animais especiais em Vila Velha

Neste sábado (20) tem Feira de Adoção Especial em Vila Velha, no Shopping Praia da Costa.  A ong Amizade é um Luxo é a organizadora do evento que contará com animais que tem diversos tipos de necessidades especiais: não podem andar, não podem enxergar, não podem  ouvir, são idosos e até aqueles que por algum motivo perderam uma patinha ou tem as quatro patas mas que não funcionam bem.

Muitas vezes esses ‘defeitos’ fazem com que estes animais não sejam adotados, por isso a ideia da feira. O objetivo é dar as costas para o preconceito e abrir o coração para estes aumiguinhos e miaguinhos.

A feira será das 13 às 18 horas, na área ao lado do cinema. Para adotar, é preciso ser maior de 18 anos e apresentar RG e comprovante de residência, além de amor e responsabilidade, pois esses amigos já sofreram muito.

Quem não puder adotar, pode ajudar doando ração, jornal, patê e medicamentos veterinários. Também haverá venda da Loja Luxo e Pet Luxo.  

Jacaré-de-papo-amarelo é flagrado ‘dando uma volta’ na Jacuném

O flagrante aconteceu no último dia 1º. Foto: Divulgação Hilton Monteiro

O fotógrafo e ativista ambiental Hilton Monteiro Cristovão conseguiu mais um ‘flagrante animal’ em áreas verdes da Serra, no último dia 1º de maio.

Desta vez foi na Área de Proteção Ambiental (Apa) Jacuném, na região do bairro Barcelona, e o clique foi num jacaré-de-papo-amarelo.

“A espécie está ameaçada de extinção e sua presença na lagoa Jacuném comprova o trabalho que a Polícia Ambiental vem realizando, coibindo a pesca predatória e preservando a lagoa. Caso se encontre um animal deste em algum lugar indevido, não se deve tentar capturá-lo, o correto é acionar a Polícia Ambiental para remoção do bicho para uma área segura, como a Lagoa Jacuném”, destaca Hilton.

Em suas andanças Hilton também já flagrou uma cegonha e uma lontra nos Alagados do Mestre Álvaro, além de uma águia pescadora e uma lontra na Jacuném.

‘Mimos’ demais podem gerar estresse em pets

O uso de roupinhas, por exemplo, pode causar estresse em alguns cães. Foto: Reprodução site Lolipet

Carinho, diversão, amor, aprendizado, liberação de hormônios do bem-estar, melhoria de doenças emocionais e psicológicas como depressão, autismo e outras são apenas alguns dos benefícios do convívio com um cachorro ou gato no lar. Ter um animal oferece mais pontos positivos que negativos. Entretanto, alguns cuidados devem ser adotados para que esse convívio seja saudável emocionalmente tanto para humanos quanto para animais.

Animais não são humanos em miniatura, são espécies diferentes e requerem que sejam tratados de forma diferente a que tratamos os humanos, tem ocorrido um aumento significativo de doenças psicossomáticas (de fundo emocional) em animais domésticos, e isso tem correlação com a forma que o tutor cuida do seu pet.

Alguns animais odeiam com toda sua força usar roupinhas, sapatinhos e lacinhos, sabemos que ficam lindos, mas eles não gostam, seja por tolher os movimentos, seja pelo incômodo da presença de algo estranho em contato com a pele ou pelo. Isso leva a um estresse desnecessário e uma mudança de comportamento brusca para se livrar do objeto.

Vale ressaltar, que excesso de estresse causa até doenças nos pets. Essas mudanças de comportamento podem causar desde feridas por mordedura, arranhões até lesões graves e hipertermia. Caso seu pet esteja neste grupo que odeia acessório, respeite-o e não coloque.

Animais são adeptos a rotina e conforto, não fique trocando constantemente os potes de alimentação e de água e nem trocando constantemente os lugares que eles ficam na casa. Isso vai deixar seu animal confuso, principalmente gatinhos. A hora da alimentação é uma hora especial para eles pois se concentram no que estão comendo. Preferencialmente escolha um lugar na casa onde não existe muito movimento de pessoas e seja mais reservado. O mesmo vale para o “banheirinho” deles.

No caso de banhos, algumas raças de cães são peixinhos por natureza, é o caso dos labradores e goldens, outros, principalmente da espécie felina odeiam.

O ato de banhar o animal ainda que gere estresse em alguns, é saudável para evitar sujeira nos pelos. Entretanto deve se respeitar as necessidades de cada espécie e raça para não impor um estresse frequente, uma constante alteração de temperatura corporal além de outras coisas que podem deixar eles doentes.

Animais que adoram banho podem tomar a cada 7 dias (intervalo menor que esse pode causar dermatites podem retiram a camada de gordura protetora da pele do animal), outros animais que odeiam banho podem tomar a cada 15 dias.

Gatinhos podem tomar banho a cada 3 a 6 meses dependendo da quantidade de pelo e lugares que tem acesso. Converse com o veterinário que acompanha seus animais que ele lhe explicará qual melhor frequência de banho para eles. É extremamente importante usar apenas produtos pets para os banhos dos animais.

O uso de coleiras é extremamente importante até mesmo para identificar os animais, mas alguns gatinhos e cães simplesmente odeiam o que fazer neste caso? Tente acostumar aos poucos, use apenas durante alguns minutos primeiro, depois da segunda semana vá aumentando o tempo de uso e observe se as reações pelo uso do objeto vão minimizando. Caso negativo após tentar por no mínimo um mês, deixe sem. Já atendi em consultas animais com lesões enormes e dermatites graves pelo uso das coleiras.

Caminhas, brinquedos e arranhadores… Você compra o mais lindo e mais caro do petshop e leva pra casa empolgado em ver seu cãozinho ou gatinho usar e ele nem da atenção. Forçá-lo a deitar ou brincar com algo que não chamou a atenção dele vai ser extremamente prejudicial, além de irritá-lo. Também pode levar a um estresse desnecessário causando um comportamento agressivo nele e te machucar. O ideal é deixar o objeto lá e aguardar o próprio pet procurar caso tenha interesse, (quem nunca ganhou um presente de alguém e simplesmente detestou e nunca usou?) os pets são assim também.

Evite ficar mudando constantemente os brinquedos, potes de alimentação e água e caminhas. Os animais tem o faro muito mais apurado que o nosso e deixam o seu odor nos objetos que convivem, ficar comprando novos e substituindo os antigos vai fazer seu animal perder a referência do objeto e muitas vezes não entender seu uso.

Humanizar o animal é bom para um lado, mas extremamente prejudicial por outro. Ter um equilíbrio em respeitar as diferenças fisiológicas e comportamentais dos filhos peludos é extremamente importante para deixa-lo saudável e feliz em seu convívio.

Por Dra. Patricia Ribeiro de Oliveira, médica-veterinária das clínicas Climev Laranjeiras (27) 3338-7266 e Mvet Popular (27) 3011-1437.

Família pede ajuda para encontrar cadela perdida

Você viu esta cachorrinha perdida por aí?  Ela sumiu em Morada de Laranjeiras na última segunda-feira – dia 1º – e sua família esta desesperada a sua procura.

Ela é da raça Pinscher, porte bem pequeno e tem 14 anos. Segundo sua dona Bianca Carla na hora que sumiu estava com um peitoral amarelo e branco. “Ela é cheia de pintinhas na barriga e está quase surda. Por favor nos ajude a encontrá-la”.

Quem tiver informações sobre o paradeiro da cadelinha pode entrar em contato com (27) 99715-7909 André / (27)99704-5627 Bianca / (27) 99999-4543 Vânia.

Deputados querem acabar com maus-tratos a animais usados para transporte de cargas

Carroceiros: reclamações sobre maus tratos e sujeira. Foto: Ana Paula Bonelli

Foi aprovada na Assembleia Legislativa na última quarta-feira (12) o projeto que propõe alteração no Código de Defesa dos Animais (Lei 8.060/2005

), inserindo parágrafo ao artigo 10 da legislação e responsabilizando todo indivíduo que utilizar animais para fretamento, transporte de cargas, materiais ou pessoas por quaisquer atos que caracterizem maus-tratos.

A proposta agrega animais utilizados tanto na área urbana quanto na rural.  O Projeto de lei  120/2016 segue para a Comissão de Justiça para redação final, pois recebeu emenda, e depois irá para a análise do governador Paulo Hartung (PMDB).

O projeto é de autoria de Gilsinho Lopes (PR) e recebeu emendas de Janete de Sá (PMN), que foram acolhidas pelo Plenário e transformaram a iniciativa do republicano em uma alteração ao Código Estadual de Defesa dos Animais. Uma das emendas insere parágrafos ao artigo 10, que dispõe sobre a tração animal de veículos ou instrumentos agrícolas e industriais, somente pelas espécies bovinas, equinas e muares.

O primeiro parágrafo responsabiliza os indivíduos que maltratarem os animais utilizados para frete e transporte. O segundo descreve o que é fretamento, no caso da proposição: ato de carregar, transportar e alugar charretes e carroças de tração animal para transporte de pessoas e materiais como entulhos e móveis, principalmente quando utilizados por cavalos, burros, jumentos e demais animais considerados de carga.

A proposição ainda insere o artigo 13-A na legislação, determinando que qualquer cidadão poderá, quando constatar maus-tratos aos animais, comunicar aos órgãos competentes para que o animal seja recolhido aos órgãos de proteção e controle.

No Plenário, o projeto, que tramitava em urgência, passou pelas comissões de Meio Ambiente, Finanças e Justiça e agora segue para redação final. Depois, a proposta será encaminhada ao Executivo para análise. Se for sancionada pelo governador, a lei entra em vigor 45 dias após a data de publicação.

O Código Estadual de Defesa dos Animais prevê para aqueles que infringirem a lei multa de 500 Valores de Referência do Tesouro Estadual (VRTEs), que equivale, atualmente, a cerca de R$ 1.600 (aplicada em dobro e progressivamente nos casos de reincidência); e apreensão do animal.

Proibição de carroças

Em janeiro deste ano, o governador Paulo Hartung (PMDB) sancionou uma proposição de autoria da deputada Janete de Sá, que proíbe a permanência e utilização de animais de grande porte dentro de perímetros urbanos no Estado. A Lei 10.621/2017 aplica-se aos municípios com mais de 100 mil habitantes e engloba equinos, muares, asininos, caprinos, suínos, ovinos e bovinos.

Excluem-se da lei os animais de grande porte utilizados pelas forças de segurança pública no cumprimento de suas funções constitucionais e aqueles com prévia autorização de prefeituras ou do governo estadual.

Parceria entre ong e empresa de ração beneficia animais da Serra

Diretoria da Adada com a ração doada pela Nutriave. Foto: Divulgação

Uma parceria entre a Associação dos Amigos dos Animais (Adada) e a Nutriave tem beneficiado centenas de animais na Serra.

A presidente da Adada, Maria da Glória Alves Cunha, que é médica veterinária ressalta a importância da parceria. “Um dos objetivos da Adada é alimentação dos animais abandonados que podem ser  os resgatados, os que vivem em abrigos, que vivem nas ruas ou que são cuidados pelos tutores independentes. Nossa parceria com a Nutriave de alimentos pet , foi um avanço dentro dos trabalhos realizados por ong’s no Estado. Uma empresa capixaba que acredita em nosso trabalho de proteção, alimentação, saúde e bem-estar dos animais e de seus tutores”, destaca Glória.

Com esta parceria, segundo Glória, alguns abrigos e tutores cadastrados na Adada receberam as doações. “Sabemos que animais bem alimentados estarão com a imunidade elevada e assim terão uma saúde bem melhor”.

A médica veterinária e Coordenadora Pet Nutriave, Ana Paula Có Lisboa, diz que a empresa entende que animal abandonado é um problema social e sanitário, e preocupada em tentar amenizar, porém, de forma sensata e sustentável, fez parceria com a Adada. “A proposta da ong é diferente, ela identifica a necessidade dos abrigos e se mostra a ajudar os animais resgatados cuidando juntamente do local onde ficam e do responsável por eles. Muitas pessoas recolhem os animais da rua sem ter condições de sustentá-los, sem um local seguro e apropriado, e uma grande parcela se torna “acumulador de animal” precisando de acompanhamento médico e psicológico. O problema é maior do que imaginamos, é uma realidade triste e que todos deveriam se mobilizar a fim de reverter, cada um doando o que pode”, afirma a veterinária.

Alimento Premium

A Adada recebeu da Nutriave ração premium, ou seja, um alimento mais nutritivo afim de proporcionar saúde e bem-estar aos animais que receberão a doação. “Na maioria das vezes, esses animais estão debilitados, anêmicos e com baixa imunidade, afinal, doar não é satisfazer a consciência mantendo-a limpa, doar é fazer a diferença na vida de alguém, e nesse caso, alguém muito importante para nós, os pets”, reitera Ana Paula Có.

Confira alguns beneficiados:

 

Fabricante de ração terá de indenizar família capixaba por intoxicação alimentar em cão

A ração consumida pelo animal estaria contaminada com a substância tóxica “aflatoxina” que fez com que o cachorro de estimação da família viesse a óbito. Foto: Divulgação

Uma fabricante de ração deve indenizar em R$ 4 mil por danos morais, cada um dos três integrantes de uma família que sofreu a perda de “Bud”, um cachorro da raça sharpei que foi vitimado por intoxicação alimentar causada pela ingestão de ração contaminada pela substância tóxica “aflatoxina”.

A empresa também deve ressarcir os requerentes no tocante aos gastos efetivos com o tratamento do animal, totalizando R$ 790,00.

Segundo os proprietários, Bud foi adquirido com um mês de vida, crescendo forte e saudável nos primeiros 11 meses, aos finais dos quais começou a emagrecer e a se recusar a comer a ração.

Ao levarem a mascote ao veterinário, foram informados que, segundo diversas notícias que circulavam na internet, a ração consumida pelo animal estaria contaminada com a substância tóxica denominada “aflatoxina”, e ainda pior: Bud corria risco de vida.

Imediatamente foram administrados medicamentos para combater a doença, além de exames que constataram alterações nos órgãos internos do cãozinho, sugerindo intoxicação alimentar. Porém, o risco era real, e após o primeiro dia de internação Bud faleceu.

Após a perda da mascote, a família pesquisou sobre a substância, constatando que vários outros animais já haviam morrido ao consumir a ração, que continuava à venda no mercado. A descoberta fez com os donos encaminhassem o corpo de Bud para a necrópsia, quando obtiveram o resultado positivo para intoxicação.

O resultado positivo também foi obtido ao encaminharem amostras da ração para análise laboratorial, quando foi constatada a existência da substância tóxica no alimento.

Em sua defesa, a empresa alegou não haver provas da causa do óbito do animal, que poderia ter ocorrido por uma série de outras toxinas ou fatores, não havendo nenhum elemento nos autos que relacionasse a morte de Bud ao consumo de seu produto.

A empresa informou ainda que, ao ter conhecimento da variação apresentada na ração, realizou recall com divulgação em jornais de grande circulação no Estado do Espírito Santo.

Porém, para o magistrado da 5º vara cível de Vila Velha, todos os exames, documentos e reportagens apresentados pela requerente, comprovam que o óbito do cão Bud teve relação direta com o consumo da ração fabricada pela empresa ré.

Dessa forma, o juiz concluiu pela condenação da empresa, em função de todo o sofrimento causado às autoras pelo falecimento de seu animal de estimação, com apenas 11 meses de vida, pelo uso da ração contaminada.

 

Cães da Polícia terão tratamento gratuito na UVV

Os dez animais usados pelo Grupamento de Operações com Cães (GOC) terão atendimento gratuito no Hospital Veterinário da Universidade de Vila Velha. Foto: Divulgação

A Diretoria de Operações Táticas (DOT) da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) firmou parceria com o curso de Medicina Veterinária da Universidade de Vila Velha (UVV), para que os dez animais usados pelo Grupamento de Operações com Cães (GOC) tenham atendimento gratuito no Hospital Veterinário da instituição. 

Na última terça-feira (28), um grupo de 23 estudantes universitários, acompanhado pela professora Bárbara Loureiro, participou de uma aula prática com o GOC, em que pôde conhecer o trabalho realizado pelo grupamento e assistir a simulações realizadas pelos cães e treinadores da DOT.

Na ocasião, os alunos também realizaram um mutirão para avaliar e vacinar os cães usados pelo grupamento em suas operações. Os estudantes também tiveram uma aula prática no canil do GOC, localizado no complexo prisional da Glória.

Atualmente, a Sejus conta com 11 inspetores adestradores que treinam os cães para detecção de entorpecentes, busca e captura e proteção e guarda.

O diretor de Operações Táticas da Sejus, Fernando Bastos Vieira, explica que a parceria entre a universidade e a Sejus será benéfica para todos.

“A DOT passa a contar com atendimento diário e emergencial de todos os cães, sem custos para o Estado, por meio do Hospital Universitário, que vai proporcionar mais saúde aos animais. Além disso, a experiência vai contribuir para a formação acadêmica dos futuros veterinários”.

Bazar solidário em Jacaraípe terá peças de R$ 3 a R$ 25

Estarão à venda roupas, acessórios, livros, artesanato e sapatos: tudo seminovo. Foto: Arquivo TN

Neste sábado (8) tem bazar solidário em Jacaraípe a partir das 9 horas. Quem for ao local poderá encontrar peças com preço mínimo de R$ 3 e máximo de R$ 25.

Estarão a venda no local peças seminovas, como sapatos, livros, artesanato, blusas, bermudas, saias, calças, camisas masculinas e femininas, roupas infantil e juvenil, além de pulseiras e colares.

O bazar acontece ao lado do consultório veterinário Faro Fino, próximo a loja Bremenkamp Material de Construção. Todo o valor arrecadado será revertido para tratamento, alimentação e castração de animais abandonados. A realização é do grupo Ação Animal.

CPI volta a debater o abandono de cães na Ufes

A cadela Raposinha foi a primeira a ser resgatada do campus da universidade. Foto: Reprodução Facebook

Nesta terça-feira, 4, os integrantes da CPI dos Maus-Tratos aos Animais, da Assembleia Legislativa, presidida pela deputada Janete de Sá (PMN), voltam a se reunir com representantes da Ufes, da Sociedade Protetora dos Animais (Sopaes), Prefeitura de Vitória e Polícia Ambiental. O objetivo é verificar as providências, que foram acordadas na CPI, no dia 7 de março, em relação à captura e tratamento dos cachorros abandonados no campus da Universidade, em Goiabeiras.

“Há um mês discutimos esse assunto na CPI com todos os envolvidos e estabelecemos um prazo para que os cães fossem capturados, castrados, vermifugados e vacinados. Esse problema da matilha, abandonada na Ufes, já se arrastava por cinco anos e com a atuação da CPI, conseguimos encontrar uma solução para esse caso, já que os animais ficavam embaixo do restaurante universitário, causando uma série de transtornos para a instituição”, declarou a presidente da CPI, deputada Janete de Sá.

A reunião da CPI dos Animais acontece a partir das 19hs, no plenário Rui Barbosa e é aberta ao público.

Foram convocados a participar da reunião da CPI:

Maria Auxiliadora Carvalho Corassa – Representante do Reitor da Ufes

Douglas Severo – Médico Veterinário Ufes

Virgínia Brandão – Presidente Sopaes

Subtenente Geziel Reis – Polícia Ambiental

Arlete Frank Dutra – Gerente do Centro de Vigilância em Saúde Ambiental (CVSA) Prefeitura de Vitória

Cátia Cristina Vieira Lisboa – Secretária Municipal de Saúde de Vitória

Lígia Diniz – Protetora de Animais

Quer adotar um filhotinho?! Então… quero ver resistir a estas fofuras!

Quer adotar um filhotinho?! Então… quero ver resistir a estas fofuras! Na Vigilância Ambiental em Saúde da Serra, antigo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), vários filhotes de cachorro estão a procura de um lar. Os animais tem cerca de 40 dias  e estão prontinhos para levar alegria e amor para sua casa.

Agora se você prefere os adultos, o CCZ também tem diversas opções, inclusive animais já castrados e vacinados.

Para adotar animais nos CCZs é preciso ter muito Amor no coração pois esses cães e gatos já sofreram muito e precisam urgente de um lar. É necessário levar RG, ter mais de 18 anos e comprovante de residência. O VAS fica fica na Rodovia ES 010. km 2,5- Jardim Limoeiro. Serra. Ponto de referência: em frente ao Status motel. Telefone 3281-9288.

Confira:

Fiscalização apreende 25 pássaros silvestres em operação

A operação aconteceu nos bairros Novo Porto Canoa e Serra Dourada II. Foto: Divulgação

Vinte e cinco pássaros foram apreendidos na manhã da última sexta-feira (31), pela Fiscalização Ambiental da Serra. Um jabuti e um papagaio também foram encontrados. A operação aconteceu em conjunto com a Polícia Ambiental. A ação ocorreu em várias residências nos bairros Novo Porto Canoa e Serra Dourada II.

A multa para quem for pego com animais silvestres varia de R$ 50 a R$ 300, mais R$ 50 por espécie, e para animais que estão na lista de extinção é de R$ 100. Se tiver mais de três unidades, é caracterizado como comércio ilegal e a multa é aplicada em dobro. Com mais de 10 unidades, é considerado tráfico de animais e multa é multiplicada por cinco.

Os animais apreendidos são encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), do Ibama. Lá, eles são avaliados e posteriormente enviados para o Sereias, do Ibama. 

O telefone para acionar a Fiscalização para recolher animais silvestres é 99951-2321/ 0800 283 9780 e o e-mail é [email protected]

CPI dos Maus-tratos pede fechamento de canil clandestino

O problema aconteceu num canil em Vila Velha. Foto: Divulgação

Os integrantes da CPI dos Maus-tratos aos Animais, presidida pela deputada Janete de Sá (PMN), realizaram na noite da última terça-feira (28), uma reunião para interrogar as donas do canil Blue Point,  em Vila Velha, denunciadas por realizar cirurgias em animais sem serem veterinárias.

Em vídeos que foram postados em redes sociais, os animais se mexem durante o procedimento cirúrgico, indicando que eles sentem dor.

No depoimento, realizado na presença do delegado titular da Delegacia de Meio Ambiente e representante do Conselho Regional de Medicina Veterinária, a proprietária Nicoli Presotti admitiu que o canil, que funciona há 15 anos no bairro Retiro do Congo, em Vila Velha não possui licença para funcionar. Ela negou que as cirurgias, que tiveram os vídeos divulgados na internet, não foram feitas no canil, que segundo ela não possuí médico veterinário responsável pelos cães.

Em contradição ao depoimento de Nicoli Presotti, a  outra proprietária, Letícia Oliveira, admitiu que foram feitas cirurgias no canil e que ela participou de procedimentos cirúrgicos  em cães mesmo não sendo veterinária. Ela afirmou ainda, que nos vídeos divulgados na internet, ela realizou suturas nos animais com a supervisão de uma veterinária que ela não revelou o nome.

Diante dos relatos a presidente da CPI, deputada Janete de Sá, anunciou que vai pedir o fechamento do canil Villa Blue Point. “Nós constatamos nos depoimentos diversas irregularidades no canil e não podemos permitir que os animais sejam submetidos a Maus-tratos por isso estou propondo o fechamento do canil, que é clandestino,  e a tutela antecipada dos animais para que eles sejam colocados para adoção”, afirmou a parlamentar.

CPI dos Maus-tratos ouve donas de canis clandestinos de Vila Velha

O caso veio à tona após publicação de vídeos e fotos em redes sociais. Foto: Divulgação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-Tratos a Animais se reúne nesta terça-feira (28), às 19 horas, no Plenário Rui Barbosa, para ouvir Nicoli Presotti e Letícia Oliveira Sotti, acusadas de realizar cirurgias em um canil clandestino em Vila Velha sem ter formação profissional para a função. Proprietárias do estabelecimento, as duas negam que maltratam cachorros. A reunião terá transmissão ao vivo pela TV Assembleia. Acompanhe pelo YouTube.

O caso veio à tona após publicação de vídeos e fotos em redes sociais. As imagens chamaram a atenção de internautas, pois o procedimento parece ser feito em local improvisado e com cachorros em movimento – o que pode ser interpretado como ausência de anestesia. Uma petição pública online pede a prisão das suspeitas, e mais de 22 mil assinaturas já foram coletadas.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-ES), conforme destaca em seu site, protocolou na última segunda-feira (20), junto ao Ministério Público do Estado (MPES) e Polícia Civil, denúncia contra o canil por charlatanismo e maus-tratos. O CRMV afirma que o estabelecimento é clandestino, pois não possui registro junto ao conselho e atesta o exercício ilegal da medicina veterinária.

Segundo a deputada Janete de Sá (PMN), que visitou o canil acompanhada da Polícia Militar Ambiental e do CRMV, além da Sociedade Protetora dos Animais, o estabelecimento não possui autorização municipal e nem licença ambiental. No entanto, abriga mais de 150 animais. “Também não encontramos nenhum documento que comprove a existência de médico veterinário responsável pelos animais”, diz.

A presidente da CPI continua: “Mesmo com as proprietárias afirmando que os vídeos que foram postados nas redes sociais foram feitos há mais de um ano e meio, elas não são capacitadas a realizar nenhum procedimento cirúrgico já que não são veterinárias. Nosso objetivo com os depoimentos é identificar outras possíveis práticas irregulares no canil e estabelecer prazo para que os problemas sejam definitivamente solucionados”, conclui.

A reunião vai contar ainda com a presença do presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária, Luiz Carlos Barboza Tavares, e dos médicos veterinários Marcelo Athadeu e Viviane Starling.

A CPI

A CPI dos Maus-Tratos a Animais apura denúncias de violência, abandono, desleixo nos Centros de Controle de Zoonoses, além de privação de água e comida. Há relatos recentes de envenenamento de cães, gatos, equinos e outras espécies que são agredidos, atropelados e mortos.

TV Assembleia

Na Grande Vitória a transmissão da TV Assembleia se dá nos seguintes canais: 19.2 aberto e digital, 12 da NET, 14 da RCA, 319.2 da GVT e 519.2 da Sky Digital. A TV Assembleia também pode ser acessada ao vivo pelo YouTube.

Feira de adoção reúne cerca de 100 animais no Shopping Vila Velha

A ação, em parceria com a ONG capixaba Amizade é um Luxo, tem como objetivo ajudar animais abandonados a acharem um lar

Bia, Bruno e Bob estarão na feira. Foto: Divulgação

Acontece no próximo sábado (25) a 1ª Feira de Adoção de Cães e Gatos do Shopping Vila Velha. O maior centro de compras do Espírito Santo já se orgulha em ser um estabelecimento Pet Friendly e permitir a circulação de animais de pequeno, médio e grande porte nas áreas comuns do centro de compras. E agora, em parceria com a ONG capixaba Amizade é um Luxo, vai possibilitar que animais resgatados encontrem um lar.

O evento será realizado no piso G2 do Shopping Vila Velha, no acesso ao estacionamento próximo ao Carrefour, a partir das 10h. Serão cerca de 100 animais disponíveis para adoção. Todos os filhotes estarão vacinados e terão garantia de castração a baixo custo junto aos consultórios veterinários parceiros da ONG. Os adultos disponíveis já estarão castrados e vacinados.

Além do espaço para adoção, haverá ainda a Loja Luxo da ONG, onde serão vendidas camisas, bandanas, chaveiros, acessórios e brinquedos pet, e a loja Pet Luxo, com a venda roupinhas para animais. Toda a renda obtida será revertida para o cuidado com os animais abandonados.

Como adotar?

Para adotar, é necessário ser maior de 18 anos e levar ao evento documentos de identificação e comprovante de residência.

Como contribuir?

A ONG Amizade é um Luxo precisa de apoio para continuar desenvolvendo os trabalhos de cuidado e resgate de animais abandonados. Por isso, durante o evento, haverá ainda espaço para arrecadação de doações. Para contribuir, basta levar para o evento ração, medicamentos ou jornal.

SVV Pet Friendly

O Shopping Vila Velha permite a circulação de animais de estimação de todos os portes na coleira e na guia, no interior e nas áreas comuns externas do centro de compras. Cães-guia são sempre bem-vindos ao shopping também. Para saber mais informações sobre o SVV Pet Friendly, é possível conferir o código de conduta afixado nos corredores do mall.

Amizade é um Luxo

A Amizade é um Luxo é uma ONG capixaba que tem como missão resgatar a dignidade e as chances de uma vida feliz para os animais vítimas do abandono e maus-tratos, promover uma mudança de paradigma no modo como esses animais são vistos pela sociedade, incentivar a adoção, castração e posse responsável.

O principal foco da ONG são os animais que vivem nos Centros de Controle de Zoonoses (CCZ), porém o trabalho abrange também os animais resgatados por abrigos e protetores independentes.

Em quase quatro anos de existência, a ONG contribuiu para a adoção de mais de 2.700 cães e gatos. Mais de 580 animais foram castrados e inúmeros animais foram vacinados e receberam atendimento veterinário por meio dos recursos obtidos pela organização.

Serviço:

1ª Feira de Adoção de Cães e Gatos do Shopping Vila Velha

Quando: 25 de março (sábado), a partir das 10h

Local: no piso G2 do Shopping Vila Velha, no acesso ao estacionamento próximo ao Carrefour

Dona de canil em Vila Velha é levada a delegacia após denúncias de maus-tratos

As imagens mostram animais sendo submetidos a cirurgias por uma das donas dos canil. Foto: Reprodução Facebook

Imagens de um canil em Vila Velha rodaram as redes sociais e causaram revolta dos amantes de animais no Espírito Santo.

Os vídeos mostravam cirurgias sendo feitas em cães da raça Spits Alemão onde os animais se mexiam e latiam durante o procedimento, o que caracteriza dor.

Diante das denúncias a dona foi denunciada por maus-tratos e prática ilegal da medicina veterinária. Na tarde da última terça-feira (21) a dona do canil recebeu voz de prisão e foi conduzida pela Polícia para prestar esclarecimentos na Delegacia.

Participaram da ação policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente, o Conselho Regional  de Medicina Veterinária, a presidente da CPI dos Maus Tratos aos Animais da Assembleia Legislativa,  deputada Janete de Sá e integrantes da Sociedade Protetora dos Animais. A diligência surpresa aconteceu no Canil Blue Point,  localizada no bairro Retiro do Congo,  na Zona Rural de Vila velha. 

As duas criadoras de cães da raça Spitz Alemão foram denunciadas depois que vídeos e fotos, que mostram uma delas fazendo cirurgias nos animais do canil, viralizaram nas redes sociais no último final de semana.

Durante a ação que aconteceu na tarde desta terça-feira (21) foi constado que o canil que fica em Vila Velha possui mais de 150 animais. Foto: Divulgação

Durante a diligência foi constatado que o canil não possui autorização municipal para funcionamento e não tem licença ambiental. No local também não foi encontrado documento que comprove a existência de médico veterinário responsável pelos animais. Foi apreendido vasta quantidade de medicação humana para dor e anestésica.

O canil possui mais de 150 animais de diversas raças a maioria da raça spitz. A proprietária Nicoli Pressotti disse a imprensa que o vídeo foi feito há mais de um ano e meio e que o canil não possui mais o centro cirúrgico mostrado nos vídeos.  

Depois de percorrer todas as instalações do canil e ver de perto a situação dos animais, a deputada estadual Janete de Sá (PMN) identificou que a proprietária e a jovem são as mesmas que aparecem no vídeo fazendo cirurgias nos cães e que serão convocadas a prestar depoimentos na CPI dos Maus Tratos contra os Animais na Sessão da próxima terça-feira,  dia 28 de março, às 19 horas no Plenário Rui Barbosa da Assembleia Legislativa.

Também foram identificados animais em jaulas e carentes do convívio humano. Há ainda informação que os bebês são castrados com dois meses para venda além de uma fossa esbarrando de fezes o que caracteriza crime ambiental.

As mulheres foram presas por policiais da Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural, sob a responsabilidade do delegado Maurício Gonçalves. 

O delegado explicou que, em relação aos maus tratos com os animais, as suspeitas não foram pegas em situação flagrancial do crime, mas afirmou que o caso vai continuar a ser investigado. 

As suspeitas assinaram um Termo Circunstanciado pelo crime do Art. 60 da Lei de Crimes Ambientais: Construir, reformar, ampliar, instalar ou fazer funcionar, em qualquer parte do território nacional, estabelecimentos, obras ou serviços potencialmente poluidores, sem licença ou autorização dos órgãos ambientais competentes, ou contrariando as normas legais e regulamentares pertinentes. Elas foram liberadas e responderão o processo em liberdade.

 

Mãe e filha para adoção: porte pequeno

Que levar muito amor para sua casa? Estas duas belezuras são mãe e filha e estão disponíveis para adoção.

Todos os irmãozinhos já foram adotados e ela ficou só. Elas estão em Nova Almeida, na Serra.

É fêmea, sem raça definida, está com 3 meses, porte pequeno, vacinada e vermifugada. Quem quiser adotar pode entrar em contato com Fernanda Tinelli pelo Facebook clicando aqui.

Preguiça-de-coleira faz pose para foto no Mestre Álvaro

O click foi feito no último sábado (11). Foto: Junior Nass

A Área de Proteção Ambiental (APA) Mestre Álvaro é muito rica em fauna e flora e serve como refúgio para muitos animais. Um exemplo, é a preguiça-de-coleira fotografada pelo ambientalista Júnior Nass desfilando pelo verde do monte.

O click foi feito no último sábado (11). Para quem não sabe a preguiça está ameaçada de extinção.

Ela é encontrada principalmente nos estados da Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro. Medem cerca de 50 cm de comprimento e têm pelagem castanha e nuca com longos pelos negros, formando uma espécie de crina.

Júnior é membro da Associação Ambientalista Amigos do Mestre Álvaro, cujo objetivo é a preservação, defesa e conservação da Área de Proteção Ambiental (Apa), coibindo ações depredatórias.

“Queremos primeiro tornar esta Apa uma referência de práticas de conservação, proteção e sustentabilidade aplicável em outras reservas ambientais de nossa cidade e demais localidades. O maior desafio é estancar a degradação provocada pelo ser humano. Conseguindo isso, pretendemos promover por iniciativa própria e em parcerias, formas de conscientização, através de atividades de educação ambiental para a população”, detalha.

Belos, resgatados e sem lar! Vamos adotar?

Quer adotar um focinho? Neste sábado (18) e domingo (19) tem feira de adoção no Shopping Mestre Álvaro, em Eurico Salles, na Serra. O evento será das 14 às 21 horas no Pátio Verde.

Cães e gatos estarão disponíveis para adoção na feira que está sendo organizada pelo abrigo Ame um Pet, de Jacaraípe.

O abrigo cuida de 80 animais e o consumo de ração é muito alto. Quem não puder adotar, pode ajudar como voluntário na feira, doar ração, ou até mesmo patê e medicação veterinária.

Informações 9 9786-8463.

Família pede ajuda para encontrar cadela desaparecida na Serra

Fernando com a cadela Isis. Foto: Reprodução Facebook

Esta menina da foto é a Ísis e está desaparecida há cerca de 10 dias. Ela sumiu em Praia de Capuba, região de Jacaraípe.

Seus donos Thaíza Dias e Fernando Peterle estão desesperados a sua procura.

 “Ela é nossa filha caçula e até hoje não a encontramos. Pedimos ajuda se alguém a ver, por favor nos procure. Ouvimos falar que ela estava nas redondezas da mata, próximo ao Cerimonial Canto da Mata. Mas já rodamos algumas vezes por lá e não a vimos”, destaca Thaíza.

Isis é porte médio para grande e muito dócil e brincalhona. Foto: Reprodução Facebook

Ísis é porte médio para grande e apesar do tamanho é uma cadela muito dócil e brincalhona.

“O quintal, os irmãos (Maia, Theo e Linguiça), Fernando e eu, já não somos mais os mesmos. Falta a alegria que só ela consegue transmitir em nossa casa”.

Quem tiver alguma informação sobre o paradeiro da cachorra pode ligar para Thaíza no  9 8144-3222 ou Fernando no 9 9991-1195.

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por