Serra, 21 de Janeiro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Meio Ambiente

Serra, 19 de dezembro de 2014 às 12:27

Estrutura do Casarão está comprometida


Por Anderson Soares

Incêndio consumiu o imóvel no último dia 25 de novembro, logo depois que a contrutora MRV transferiu a propriedade para o Instituto Goiamum. Foto: Joatan Alves

Incêndio consumiu o imóvel no último dia 25 de novembro, logo depois que a contrutora MRV transferiu a propriedade para o Instituto Goiamum. Foto: Joatan Alves

Mais da metade do Casarão de Balneário Carapebus está com a estrutura comprometida. A avaliação é da Defesa Civil do município, que vistoriou o imóvel após o incêndio do último dia 25 de novembro.

No entanto, através da assessoria de imprensa, o órgão disse que ainda é possível recuperar o imóvel, que foi doado pela construtora mineira à ong Instituto Goiamum dias antes do incêndio.

Já o Corpo de Bombeiros, que havia dado prazo de 10 dias para divulgar o laudo com as causas do incêndio, ainda não sabe o que provocou o fogo. “Por causa do tamanho do local houve a necessidade de novas diligências para realização de exames mais detalhados”, justificou a corporação em nota à reportagem. A suspeita é que o incêndio tenha sido criminoso.

Apesar do quadro desolador do imóvel, que antes do incêndio estava avaliado em R$ 1,3 milhão, o Instituto Goiamum deve seguir como dono do local. Pelo menos é o que garante o diretor da entidade, Iberê Sassi. “Não há planos de devolver o imóvel para a MRV”.

Iberê também acusa a construtora de omissão no caso. No entendimento dele a MRV deveria ter feito a vigilância do imóvel. A empresa discorda. Através da assessoria de imprensa diz que a responsabilidade pela vigilância era do Goiamun, uma vez que o incêndio ocorreu após a doação.

Além dos órgãos que fazem a analise do incêndio, o caso também está sendo acompanhado pela Delegacia Patrimonial de Novo Horizonte.

História

Construído na década de 1950, o Casarão possuía 54 cômodos, interligados por túneis e passagens secretas. Lendas entre moradores antigos da região contam que o idealizador e primeiro dono era obcecado por segurança e seria simpatizante do nazismo.

No início da década de 2010, a MRV comprou a área para a instalação de condomínios populares. Ela chegou a destelhar o Casarão em 2011, mas foi impedida de demolir o imóvel diante da repercussão negativa. Na época, uma alteração do Plano Diretor Municipal transformou a área em local de interesse histórico.

A solução encontrada pela construtora foi doar o Casarão para o Instituto Goiamum dirigido por Iberê Sassi. A sede da entidade é vizinha ao Casarão. Iberê é ex-funcionário do Ibama e atua como ongueiro nos conselhos Estadual e Municipal de Meio Ambiente.

 

 




O que você acha ?

Você se sente seguro nas praias da Serra?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por