Hartung classifica movimento dos rodoviários como inútil | Portal Tempo Novo

Serra, 19 de dezembro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Geral

Serra, 4 de dezembro de 2018 às 11:20

Hartung classifica movimento dos rodoviários como inútil

Por Gabriel Almeida
[email protected]

Esta já é a segunda vez que o governador apela para que os rodoviários cumpram a liminar. Foto: Divulgação

O governador Paulo Hartung fez um novo apelo para que os rodoviários cumpram a decisão da Justiça de que 70% da frota dos ônibus circulem nos horários de pico (das 6h às 9h e das 17h às 20h) e 50% nos demais horários. Esta já é a segunda vez que o governador apela para que os rodoviários cumpram a liminar.

Através de um novo vídeo postado em suas redes sociais na manhã desta terça-feira (4), o governador chegou a classificar o movimento dos rodoviários como inútil. “Faço uma observação: é absolutamente legítimo uma categoria lutar pela melhoria de condições de vida, mas esse é um setor essencial a vida da nossa população. Por isso no mundo desenvolvido toda greve do setor essencial a justiça logo determina um percentual que precisa continuar em funcionamento. A segunda questão, já está judicializada, a justiça vai decidir o percentual. Se vai decidir é absolutamente inútil o movimento paredista trazendo tantos prejuízos para a população”, disse Paulo Hartung.

O governador ainda afirmou que não faz sentido impor ao povo o que para ele é mais um sacrifício. “Então aqui vai meu apelo. Apelo ao bom senso. Se a justiça vai decidir em poucos dias o percentual do reajuste, da relação patrão e empregado, não faz sentido penalizar a população. O povo brasileiro já vem sofrendo muito nos últimos anos e o povo capixaba junto. Não faz sentido impor ao povo mais um sacrifico de tal magnitude”, alerta.

Hartung ainda chamou a atenção para o momento de fim de ano. “É hora de Natal, é hora do estudante terminar o seu ciclo educacional, do pequeno comerciante recuperar um pouco do que perdeu nos últimos anos. Então fica aqui meu apelo a todos vocês. Vamos cumprir a determinação judicial e vamos esperar pacificamente a decisão que vem da justiça e seguramente vai dar tranquilidade as partes para operar um sistema tão importante para a Grande Vitória”, disse.

Confira o vídeo publicado pelo governador:

Governo quer multa de R$ 500 mil por dia para Sindicato dos Rodoviários

O procurador-geral do Estado, Alexandre Nogueira Alves, disse em uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (4) que a procuradoria vai entrar imediatamente com um requerimento no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) onde pedirá o aumento da multa para o Sindirodoviários de R$ 200 para 500 mil por dia.

No último domingo (2), o TRT-ES emitiu uma liminar para que os rodoviários colocassem 70% da frota dos ônibus na rua em horários de pico e 50% nos demais horários, o que não foi cumprido nesta terça-feira (4). Com isso, os capixabas tiveram diversos transtornos e muita confusão logo no início da manhã. O pedido de aumento do valor da multa entrará junto com o requerimento que também pede que a Justiça declare a ilegalidade da paralisação. Leia mais clicando aqui. 

Terça-feira de capixaba começa sem ônibus e com muita confusão

Passageiros lotaram pontos de ônibus na Serra. Foto: Gabriel Almeida

Os moradores que precisaram utilizar o transporte coletivo nesta terça-feira (4), na Grande Vitória, foram pegos de surpresa. Os coletivos não saíram das garagens, enquanto os passageiros lotaram os pontos de ônibus por horas. Na Serra, o Terminal de Laranjeiras ficou praticamente vazio e quase nenhum veículo conseguia sair do local.

A moradora de José de Anchieta, Marly Santos, disse que esperou desde as 6h em seu bairro, logo em seguida foi para um ponto que fica as margens da BR-101. “Preciso chegar ao meu trabalho pois estou com as chaves da empresa. Estou desde as 6h esperando por algum ônibus, mas não vi nenhum rodando. Isso é um absurdo”, reclama.

Já o Estevão Soares, que mora na região de Carapina e trabalha na Serra Sede, esperou os ônibus por cerca de quatro horas e voltou para casa. “Estou desde cedo na rua, mas não vi nenhum coletivo circulando. Espero que essa situação se resolva logo já que não podemos ficar sem o transporte público”, disse.

A reportagem esteve no Terminal de Laranjeiras, na Serra. No local, poucos passageiros ainda insistiam em esperar por um ônibus. Uma moradora de Parque Residencial Laranjeiras, que não se identificou, relatou que foi andando para o terminal, mas chegando lá não tinha nenhum ônibus. “Cheguei no terminal às 7h00 e fiquei cerca de uma hora esperando. Vi poucos ônibus saindo do local e liguei para minha empresa, que vai vir me buscar”, relata.

Nem 10% dos ônibus saíram das garagens, diz GVBus

O GVBus enviou uma nota dizendo que também foi pego de surpresa na madrugada desta terça-feira (4). Disse ainda que nem 10% dos ônibus saíram das garagens, o que comprometeu todo o sistema, e como consequência, o atendimento à população. “Situação que deixa claro que a determinação judicial não está sendo cumprida pelo Sindirodoviários, que mais uma vez surpreende os passageiros, impedindo seu direito de ir e vir, e demonstra não ter nenhum respeito às decisões judiciais”, disse em nota.

O GVBus disse ainda que desde ontem (3) as empresas entraram com uma petição de descumprimento da liminar expedida pela justiça, e o TRT-ES já está mediando a negociação, tanto que marcou uma reunião para amanhã, às 13h30. Por isso, não há motivos para essa radicalização.

“Desde o início nos colocamos à disposição dos trabalhadores para discutir uma proposta coerente com a realidade, inclusive, não medimos esforços para aumentar a oferta de reajuste inicial. Lamentamos mais uma vez a posição do Sindirodoviários e esperamos que em breve esse impasse seja resolvido”, disse na nota enviada.




O que você acha ?

Você vai passar o Réveillon na Serra?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por