Serra, 19 de julho de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Geral

Serra, 11 de julho de 2018 às 10:02

Miopia cada vez mais comum entre crianças e adolescentes


Um dos fatores é o uso intenso de tablets, celulares e computadores. Foto: Agência Brasil

Youtube, redes sociais, jogos de games. A maioria das crianças adora tecnologia e não é incomum que dediquem muitas horas do dia para navegar na web, seja para ver vídeos, jogar ou mesmo interagir com os colegas.

Uma pesquisa recente do Centro de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) mostra que cerca de 69% das crianças e adolescentes do Brasil, na faixa dos 9 aos 17 anos, utilizam a internet mais de uma vez diariamente.

O alto percentual vai ao encontro de uma preocupação crescente entre os pais e familiares: o uso frequente de equipamentos eletrônicos pode fazer mal à visão dos pequenos?

Na semana em que se comemora o dia da Saúde Ocular, um outro dado reforça o sinal de alerta. Atualmente, cerca de 20% das crianças em idade escolar no país apresentam problemas de vista, de acordo com levantamentos do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO). E, no topo dos problemas oculares mais comuns, está a miopia, que é a dificuldade de enxergar de longe.

Segundo o oftalmologista da Unimed Vitória Caetano Bellote, os pais têm motivos, sim, para se preocupar, já que o uso de celulares, tablets e computadores por várias horas por dia pode agravar a patologia entre as crianças e adolescentes. Bellote destaca que a nova geração vem desenvolvendo miopia com mais frequência e em graus maiores do que as gerações anteriores.

Causas da miopia

Os fatores mais relevantes que podem causar miopia são o genético e o ambiental. É um problema que está muito relacionado ao esforço acomodativo, ou seja, se a criança passa muito tempo de olho no celular, computador, DVD no carro, TV e tablet, o cérebro passa a valorizar a visão de perto como a mais importante. Essa vai ficando cada vez melhor enquanto a visão de longe pode ficar prejudicada. Se o pequeno tiver míopes na família, a chance de desenvolver o problema é ainda maior.

O pouco tempo em ambiente externo e o excesso de tempo com o olhar fixado para perto, como a exposição às telas próximas (celulares, tablets, computadores e livros) são os fatores ambientais mais associados à doença, segundo o médico especialista.

Prevenção

Segundo a Organização Mundial de Saúde, em 2050, a miopia afetará quase 50% da população mundial. A prevenção pode começar hoje e é bem simples: colocar a criançada para fazer mais atividades ao ar livre, onde ela usa pouco a visão de perto e ativa a visão de longe e conta com melhor luminosidade.

Caetano Bellote destaca que é muito importante que a criança tenha uma rotina diária de atividades em ambiente externo. Não aproximar demais os olhos dos tablets, celulares e até mesmo dos livros também ajuda muito. “O ideal é mantê-los, no mínimo, a 30 cm da face”, avisa o médico.

Ler debruçado sobre o objeto de leitura também não é indicado. O computador de mesa deve estar a pelo menos 50 centímetros do rosto. Quando estiver usando tecnologias, é essencial fazer intervalos frequentes. “A cada 20 minutos, é importante tirar os olhos do equipamento e focar em algo mais distante por pelo menos 20 segundos”, explica o oftalmologista.

Mas o ideal mesmo é restringir o uso dos equipamentos eletrônicos a menos tempo possível. Crianças menores de 2 anos não devem ter acesso. A partir dessa idade, o uso deve ser de, no máximo, entre 1 e 2 horas por dia.

Além disso, Bellote destaca que é fundamental acompanhar regularmente a saúde ocular das crianças e adolescentes visitando o oftalmologista. A primeira consulta deve acontecer entre 6 meses de vida e 1 ano de idade.




O que você acha ?

Como você avalia o primeiro semestre do governo Audifax?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por