Moradores de Pitanga entram com ação para barrar depósito de rejeito da Vale   | Portal Tempo Novo

Serra, 23 de outubro de 2018

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Meio Ambiente

Serra, 25 de Maio de 2018 às 10:47

Moradores de Pitanga entram com ação para barrar depósito de rejeito da Vale  


Silvério Santos, João Duarte e Fábio Junior: lideranças de Pitanga e bairros vizinhos não querem rejeitos de minério no local e reclamam da falta de informações. Foto: Bruno Lyra

Bruno Lyra

A Associação de Moradores do bairro Pitanga entrou com ação junto ao Ministério Público Estadual para impedir que uma pedreira abandonada do bairro e aos pés da área de Proteção Ambiental do Mestre Álvaro vire depósito de rejeitos da Vale.

De acordo com o líder comunitário local, Luiz Henrique Ribeiro Fernandes, mais conhecido como ‘Zica’, a ação foi protocolada no último dia 14 de abril, logo após circular a informação de que o local seria usado pela mineradora.“Além do perigo de contaminar a nascente do córrego que passa no bairro, o canal dos Escravos, temos medo que o local se rompa igual aconteceu em Mariana-MG”, argumenta.

A área da pedreira está sob a responsabilidade da empresa especializada em gestão de resíduos, a Marca Ambiental, e possui licença emitida pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) em 31/10/17 para operar rejeitos com as características do que a Vale precisa descartar.

A Vale vai retirar o minério de ferro que jogou na praia de Camburi. Além do minério, o material deve vir misturado com a areia e sal marinhos. A retirada faz parte de um acordo que a empresa fez com os ministérios públicos Federal e Estadual, Prefeitura de Vitória e Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) para recuperar a praia e em troca ter suspensas ações na Justiça em que é ré.  

Dentre as medidas, a mineradora também fará um parque de lazer e uma área de preservação ambiental no norte do balneário da capital, na área vizinha a Tubarão. A retirada do minério está sob análise e deverá ser autorizado pelo próprio Iema. Em março o órgão revelou que serão retirados 36 mil m3 de resíduos. Para isto serão necessárias 1.188 viagens de caçamba longa com capacidade de 30 m3 cada. Como serão 5 viagens por dia, o translado deve durar mais de 7 meses.

A assessoria de imprensa do Iema disse, no final da tarde de ontem (24) que o órgão ainda não definiu como será a retirada e para onde irão os rejeitos. Já a assessoria da Vale informou que aguarda aprovação do plano de trabalho para a redução dos resíduos por parte do Iema. E não revelou para onde eles podem ir. Por sua vez, a assessoria da Marca Ambiental disse que não há contrato entre a empresa e a Vale para a destinação de resíduos no local.

Porém, confirmou que a área será usada para depósito de resíduos classe II (não inertes).

 




O que você acha ?

Você já brigou com amigos e familiares por conta de política?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por