Outra mina da Vale que produz minério para Tubarão é parada | Portal Tempo Novo

Serra, 19 de junho de 2019

Portal Tempo Novo - O Portal da Serra, ES

Economia

Serra, 21 de março de 2019 às 4:00

Outra mina da Vale que produz minério para Tubarão é parada

Por Ana Paula Bonelli
[email protected]

Paralisações podem derrubar a produção da Vale em 40% em Tubarão. Foto: Divulgação

Em queda por conta do fechamento de minas após o rompimento da barragem de Brumadinho, a produção da Vale em Tubarão sofreu novo baque esta semana. A mineradora paralisou as atividades na mina de Alegria, em Mariana (MG), cujo destino é o Porto de Tubarão.

Segundo a assessoria de imprensa da mineradora, o impacto na produção é de cerca de 10 milhões de toneladas ao ano.

Com isso, a empresa pode perder cerca de 40% do total exportado pelo Porto de Tubarão, que foi 102,2 milhões de toneladas em 2017, já que a paralisação da mina das Laranjeiras, no complexo de Brucutu, reduz a produção em 30 milhões de toneladas ao ano.

A paralisação das operações da mina de Alegria, segundo a Vale, foi de iniciativa da empresa depois que constatou riscos na barragem de rejeitos. Em nota, a mineradora disse que a estrutura da barragem de rejeito é estável; mas sob condição de stress, os testes feitos deram resultados inconclusivos, o que não dá para garantir sua estabilidade nessas condições.

A Vale pontuou que os estudos serão aprofundados e as operações, retomadas, assim que houver garantia de estabilidade. Além da mina de Alegria, a empresa também está com problemas em outras duas lavras, dessa vez no Complexo do Cauê, em Itabira (MG), que também mandam minério para Tubarão. É que a Justiça determinou a suspensão do descarte de rejeitos em duas barragens por conta do perigo de rompimento.

Sobre esse caso, a Vale afirma que tal suspensão não tem impacto significativo nas operações da mina do Cauê nem na produção em Tubarão, pois passou a direcionar a descarga para outras estruturas.

Justiça dá aval para retomada da lavra de Brucutu

Na última terça-feira (19), a Vale anunciou que conseguiu na Justiça a liberação da barragem das Laranjeiras e que irá voltar a operar o complexo de Brucutu assim que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Estado de Minas Gerais (SEMAD) autorizar. Mas até o fechamento desta edição, na tarde de ontem (21), as operações de Brucutu permaneciam paralisadas.

A retomada da mineração em Brucutu é fundamental para a mineradora reverter a queda da exportação de minério de ferro em Tubarão. Por conta da paralisação de lavras após o rompimento da barragem de Brumadinho, a Vale chegou a interromper o fornecimento a siderúrgicas no Espírito Santo, como a CBF em João Neiva e Santa Bárbara em Vila Velha.

Na Serra, a preocupação maior é com a ArcelorMittal Tubarão, que usa minério de ferro pelotizado, beneficiado nas oitos usinas da própria Vale em Tubarão, para produzir aço.

A Arcelor informou que nas últimas semanas não foi afetada pela queda na produção da Vale, mas demonstrou preocupação ao afirmar que espera que a mineradora consiga priorizar seus parceiros locais.

 

 

 




O que você acha ?

Como você avalia os 6 primeiros meses de Renato Casagrande no Governo do Estado?

Ver Resultados

Carregando ... Carregando ...

Veja também

Portal Tempo Novo

Rua Euclides da Cunha, 394 - sl 103 e 104 - Laranjeiras, Serra, ES

CEP:29165-310 - Tel: 27 3328-5765

Todos os direitos reservados ao Jornal Tempo Novo © Desenvolvido por